quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Ata de 21 Novembro de 2017

Ata do CLUBINHO do dia 21 de Novembro de 2017 da reunião e jantar realizada em Blumenau na Churrascaria Tiefensee na Rua Amazonas no Garcia. Chuva forte no final do dia. O cardápio tradicional de carnes acompanhadas de polenta e a caneca de feijão foi o serviço. Era a vez do Adilson de nº19. O garçon era de nome Marcio. Mesa de frente pro mar. Mar de passarinhos no viveiro. Na coluna a demonstração de tecnologia do carregador de celulares. Pouco se fala de futebol. Muito se fala do submarino argentino. Se não fecharama tampa antes de submergir, caputz. A consciência negra é a do dia. A nossa vida e a emoção de viver com os netos. Falamos da goiaba e da goiabeira. O Luciano da havan não quer ciclovias na frente das suas lojas. Avaliamos então o Luciano Huck para presidente. Lula era o nome do pai dele. Enorme foi a quentinha do Pedro. Os Pfau realizaram em encontro em São Francisco do Sul com uma centena de familiares. A cidade tem um centro histórico maravilhoso. São Chico é a terceira cidade mais antiga do Brasil. A primeira é a Vila de São Vicente, diz o google. Masss Porto Seguro seria a primeira, Angra a segunda. São Vicente é a quinta. CLUBINHO também é pesquisa. É Cultura. Em Capri tem o Iate Clube e como Comodoro o Beckauser de Blumenau. O Bao teve lá com o Ciro há meio século atrás e o lote era junto de um duto. Foram feitas outras avaliações e comentários das últimas ocorrências, mas temos a certeza que são apenas exageros cometidos pelo álcool. O Adilson diz que vai sair correndo, nós ficamos para aplaudir o campeão no pódio. Sem mais, encerramos esta ata que foi lavrada em decorrência de mais uma reunião do CLUBINHO que há 38 anos faz isso sempre as terças feiras.

domingo, 19 de novembro de 2017

Radiamadorismo

RADIOAMADORISMO E MEU CONTATO COM HANSENÍASE ( LEPRA). Neste domingo, 19 de Novembro 2017, dia da Bandeira, olhando TV, agora a tarde, deparei- me com um documentário da TV Record, sobre os antigos Leprosários no Brasil e no mundo, que isolavam os pacientes em seus hospitais. Vi depoimentos de filhos afastados de pais leprosos, que foram criados em educandários, vivendo sob os cuidados de religiosos em educandários, alguns sem jamais conhecerem os pais e irmãos. Vi e ouvi relatos, nos documentários destes filhos e até de pacientes que hoje optam em viver naquelas vilas, isolados do contato com nossa sociedade. A Medicina avançou, e estes doentes são hoje tratados em ambulatórios, com medicações que impedem a propagação da doença. Vi também, que apesar dos avanços 47.000 casos novos de Hanseníase, por ano, são detectados no Brasil. Por ser hoje domingo, minhas memórias foram-se para o início da década de 70. Era Sargento Radiotelegrafista do Exército Brasileiro, trabalhava no 14º Batalhão de Caçadores em Florianópolis, 22 nos de idade. Feliz, havia recebido meu prefixo de Radioamador, na época PY-5-CLG (hoje PP-5-CLG, já que com a divisão das regiões, as letras PY ficaram para os radioamadores do Paraná, então nós de Santa Catarina recebemos as letras PP. Não tinha condições financeiras, para comprar um equipamento de radioamador, frequentava a LABRE (Liga de Amadores Brasileiros de Radioemissão) em sua sede em Florianópolis, e fazia de lá meus contatos, com a estação do Clube. Era muito disputado, pois vários colegas, em condições semelhantes, faziam o mesmo, para uma única estação. Pouco tempo tínhamos. Nelson da Silva e Jerônimo Borges Filho,(Presidente da LABRE) então, vendo minha paixão pelo rádio, consertaram um velho rádio transceptor que transmitia em frequência fixa somente, na frequência de 7.150 Khz e em AM (Amplitude Modulada) e usando dois bambus, cortados e arranjados pelo Nelson e com cabo dipolo, montamos no quintal de minha casa a antena Dipolo. Assim eu tinha uma estação em casa, e aos sábados e domingos era o meu programa favorito. Pouco importava minha limitação, eu só podia transmitir e receber sinais em 7.150 Khz (40 metros) . Se o operador do outro lado do rádio, me ouvisse , teria de ajustar seu rádio exatamente em 7.150 metros, senão eu não conseguiria ouvir. Os rádios de frequência variável, eram caros no Brasil e raros, só para os mais abonados. Pelas manhãs de domingo, abria meus chamados: “ CQ 40...CQ 40...CQ 40 METROS” PAPA CINCO CHALIE LIMA GOLF, (PP-5-CLG) , OPERANDO ESTÃO FIXA, CHAMA QUALQUER OPERADOR QUE QUEIRA MANTER UM BOM PAPO ! “ E assim fui fazendo meus contatos, maravilhosos pelo Brasil afora...e me tornando conhecido. Aos domingos já tinha uma rede de amigos, que agradavelmente, atendiam meus chamados e estabelecíamos longos papos em rodada, um de cada vez ! Meu velho Pai Edison e minha Mãe Antônia, acompanhavam aqueles papos pelo rádio, e ficavam felizes quando os colegas de rádio diziam: “Olha...Adilson, se o Sêo Edison e Dona Antônia estão ouvindo, mando meu 73 (Abraço)...aquilo era muito bem vindo ! Certa manhã de domingo, um radioamador , ouvindo meu chamado, atendeu-me e estabelecemos um contato aí por volta de 7 horas da manhã, e nos prolongamos por quase 2 horas de contato. Chamava-se também “TADEU”, como meu segundo nome. Não vou aqui declinar seu Prefixo...uma homenagem doída de fazer. Chegando perto de 09:30 horas da manhã, eu pedi a ele licença para retirar-me do Rádio, pois havia prometido de levar meus pais na missa, no fusca 1969 que eu era o motorista e que a família havia comprado com muitas dificuldades e era nosso xodó ! Foi então que “Tadeu”, disse-me: Caro macanudo (amigo) Adilson...licença concedida com muita honra... leve lá seus pais...aproveite que estes momentos são raros. Num relato triste contou-me que assistia à missa, durante muitos anos, através de janelas, em ambientes separados, pelo fato de ser portador de Hanseníase, pois era um paciente internado, isolado. O mundo estava mudando, com novas medicações e as realidades dele, também estavam mudando, mas dado às deformidades que a doença lhe causara, não se sentia bem com a reação das pessoas, com sua presença. Tadeu passou a ser um amigo de rádio enquanto pude ter a estação em Florianópolis. Anos se passaram, fui morar em outra cidade onde cursei Medicina, conheci o Professor Ruy Noronha de Miranda, Cientista e Diretor do Centro de Estudos Leprológicos do Paraná, meu ilustre Professor em Dermatologia, homem respeitado mundialmente e falecido em 2010 aos 95 anos. Professor Ruy, foi Diretor do Leprosário onde estava internado Tadeu, havia conhecido o paciente. Professor Ruy morou com sua família na Vila onde ficava o hospital. Nos tornamos próximos, com ele pude visitar o Hospital, mas não pude conhecer Tadeu, ele havia partido para o Oriente Eterno. Vezes por outra, desci pela Estrada de Ferro que passa pela Estação de São Roque, rota turística que vai a Paranaguá...cada vez que passo por ali, o coração aperta. Querido Tadeu, que Deus o tenha ao seu lado, com meu mais afetuoso Abraço. (73). texto do Dr. Adilson Tadeu Machado. (PP-5-CLG)

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Ata de 14 de Novembro 2017

(foto ilustração) Ata do CLUBINHO da reunião e jantar realizado dia 14 de Novembro em Blumenau no Restaurante Espetinho de Ouro na Rua Amazonas, 2597 no Garcia. Aquele com os camarões de lagoa. Convite do Gilson Asdubral Soutinho. Foi pedido vinho e a etiqueta de preço era do supermercados Pfuetzenreiter. O encerramento do ano do CLUBINHO está agendado para dia 19 em Balneário. O Bola assustou pois na BR um pelo duro sinalizou que o pneu tava no chão. Acreditou e não parou. Na cozinha os limões estavam cortados. Nas antigas estivemos no Koffke, já o Joel encontrou o Maverick na foto antiga. Maverick carro e não banda. Até o Pavão 1927 passou pela mesa. A Italia não vai para a Copa da Rússia. O treinador do Brasil é considerado inteligente. Eugenio do banco Guanabara este na mesa. (O Zemzo) O Neymar está procurando uma imobiliária em Blumenau. Em casa tudo igual. O detergente do Zé Pfau - poft - caiu da pia da cozinha diversas vezes. Sempre com a manteiga pro lado de baixo. O Quico sempre esquece no supermercados. E a batata, esqueci. O Joel ilustrou com com o vidro de palpino. Que é palpino, é vidro de palmito e de pepino. E a gente ri. O Paulo Pfau era o boy da cidade, com o programa Juvetude comanda na Rádio Alvorada. De novo a história da hora da Ave Mária na Nereu que o Padre com sonoplasta novo, abre com o boa tarde, são 18 horas. E o sonoplasta larga a bolacha com volume acima do normal. Do aquário o Padre faz sinal com a mão para baixar o volume. O sonoplasta zerinho entende que é para ajoelhar e faz isso. Em Joinville o Gonçalves colocava faixa grande de musica clássica e descia para tomar café. O disco engatou tantã, tantã, tantã.... O Fernando na Rádio Alvorada abrindo o dia se considerou locutor e arrancou de bom dia, blá blá, blá. O ouvinte ligou e perguntou que era a locutora. Era o piá de voz fina. O Marcio foi milico em Brasília e conta da abundancia de gays. Teve um daqui que ficou casado lá com uma biba. Buba era outro e de OSPB de Presidente Getúlio. Ir no shopping. Ir no shopping ? O primeiro celular que vi, com o Zé Pfau, o Laudê tirou da bolsa no Bar do Horário no Neumarkt uma caixa preta, tirou do gancho ligou e falou. (telefone rural) O PT550 e a maravilha pendurada no cinto. O melhor era a cena ao atender. O Marcio comprou um vídeo cassete nas antigas num consórcio de 12 parcelas. Sugeriu sorteio da vez. Ele foi o último. Só foi ver filmes no ano seguinte. E lembra que teve um com controle remoto com fio. E o Tega tá em Gaspar. Cigarrinhos em Curitiba e a bituca que caia dentro do carro. A cena do para, para. Nós, Zé, Bola, Johni Koch e ... de Fairland com a Iara Bernardes e a Urquiza se alimentando em Florianópolis. Na segunda jantar a luz de vela, terça só almoço no Lindacap, Quarta lanche no Kretzer, quinta pão com queijo e guaraná no almoço de quinta e sexta voltar para almoçar em casa. Falamos de restaurantes de referencia nas nossas praias. Em São Miguel tem um prato com polvo no restaurante Serafim – recomendado. O Aires Bento era o veterinário numa época que não tinha PET. Já o Dr. Vergara tirava o pinga pinga. Tinha um com sífilis hereditária. Três cruzes. Cruzes. No Barracão dos Barbieris tem Toledo no pedaço. No enterro o pedreiro fez menor a própria tumba. Corta o pé grita o parente. Foi bem assim a pauta do CLUBINHO que antecedeu o feriado da Proclamação. Nada mais para tratar foi dada como encerrada.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Ata de 07 de Novembro de 2017

Ata do CLUBINHO da reunião e jantar comemorativo aos 38 aninhos. Realizada pelo presidente Daniel Chiesa no Restaurante Moinho do Vale na curva do Rio. Prestigiadíssimo e muito bom em todos os aspectos. Até a mesa era de nº 38. Numa avaliação geral, muita satisfação de todos por pertencer a tão sele grupo. Nosso modelo não é exclusivo, mas sem dúvida é sui generes. Nosso compromisso é muito sério e com uma frequência acima da média. Nossa liberdade é total e descontraída. Somos desordenadamente organizados. É uma felicidade invejável ter tantos anos juntos as terças feiras. Esse é o nosso CLUBINHO, essa é uma das boas partes boas das nossas vidas. Na mesa para comemorar muitos iniciaram com o bronzeador. Modesto o brinde para os que já foram. Na verdade um coquetel com o que sobrou nas garrafas. Químicos estrategistas já estavam definindo a receita para o CLUBINHO. Se não ficar bom se usa na praia. Conversamos de vinhos de garage. Coisa do interior aonde o colono faz seu próprio vinho para consumo da família. Se a moda pega, teremos pousos de emergência se elas abrirem os celulares. Susto foi o voo no acidente causado pelo veloz rapaz das placas. Pela manhã brindava no bar da esquina. Brindava era o Joel com sua coleção de raros carros raros. O Quico mantem a imagem de removedor. Diz o Wilson que derramou leite no carro, vende porque nunca mais será o que era. A Kombi aquela, usada como moeda de troca, tem causado um rosário de satisfações. A história de uma caravana de motos que foi para o polo norte, atravessaram a Mongólia e se foram por uma estrada de barro aonde não se encontra mais nada, nenhuma casa, nenhuma cidade. Em São Paulo está um em cada carro que existe no Brasil. Se fala que o novo governador será o Udo. Já no embalo da festa dos 38 anos foram abertos os trabalhos para pronunciamentos. O presidente evitou de ler seu improviso. O Zé Pfau falou alguma coisa. Sensacional foi a proposta do Joel, lançando o seu nome para presidente. Imagine quantas deverão ser as composições que terá de fazer para obter o apoio necessário para alcançar o cargo, subir no podium e crescer no grupo e ter no mínimo o tamanho do atual. A melhor piada da noite. O Pedro negou apoio a candidatura do Joel, se dizendo que já ter sido enganado uma vez. Dado ao avançado da hora, fomos encerrando os trabalhos aguardando os nosso 39 aninhos.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

38 aninhos

Caros amigos, o CLUBINHO comemora 38 anos da sua criação, destes 38 anos tenho a imensa satisfação de estar participando há 10 anos. Como presente por estes 10 anos de amizade, fui escolhido como presidente do grupo e como tal convido a todos para comemorarmos esta marcante data. Daniel Chiesa - Presidente.
Na nossa história foi escolhido o dia 06 de Novembro, há 38 anos, como a data de criação da agradável reunião de um grupo de amigos que se serve da estratégia para estreitar ainda mais as amizades. Uma permanente presença e de bons e alegres momentos de descontração e muita boa conversa. Pelo aprofundamento nos assuntos o nome deveria ser CLUBINHO NEWS. O CLUBINHO é um invejável grupo de amigos formado por - Pfau, Bao, Mano, Bola, Quico, Wilsinho, Adilson, Evandro (by Madri), Eduardo, Nei, Claudio, Marcio, Daniel, Joel e Fernando. Foi de uma ideia de 1979 que treze amigos definiram a terça feira como um dia especial. Terça não se assume outro compromisso. Eram, como ainda somos, amigos de escola na infância, de muito barulho na banda de rock da adolescência, de competidores e pilotos na juventude e de já reconhecidos adultos, cidadãos e profissionais. Solteiros e casados. Depois descasados, arrumados... Adicionados pelos amigos dos amigos que hoje formam um grupo único e muito afinado. Com boas aquisições. Chegamos a reunir até no numero de quarenta de participantes, foram outras dezenas e centenas de convidados. Uns partiram mais cedo e nas terças feiras lá aonde estão devem estar com compromisso, se encontrando. Para eles é feito um brinde e prestamos a nossas homenagens. Hoje dividimos as reuniões entre Blumenau, Brusque e os bem aposentados em Balneário Camboriú. Parabéns a todos os amigos do CLUBINHO.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Ata de 31 de outubro de 2017

Ata do CLUBINHO da reunião jantar realizada no dia 31 de outubro de 2017 em Brusque no Monthez Hotel & Eventos na cidade de Brusque com uma vista maravilhosa para um mar de atrações. Pavilhões da Fenarreco, Kartodromo, pista de Jeep, hipismo, exposição de esculturas ao ar livre e a cidade de Brusque o berço da fiação catarinense. O jantar foi a convite de José MANO Walendowsky que recebeu o CLUBINHO e aos amigos internacionais Fornari, o italiano Felipe (sogro da filha do Bao) e o produtor de pin up’s e irmão – Beto. Aliás foi dado o recado de que fotos repetidas com a mesma modelo em posições diferentes e nada acontece estão descartadas. Na lei do Uber os carros sem a placa vermelha como serão multados ?. Sem placas ? No sól de Balneário Camboriú nossa turma é igual bebezinho, só antes das 9:38. O Bao está fora, pois caminha em passos fortes e rápidos, tanto que o sol não alcança. A triste notícia foi do Bola que comunicou que o Léo, irmão da Nádia, um Barriola que saiu de Balneário e morava há anos nos isteites, faleceu. Num grupo de motociclistas numa viagem, acidentalmente atingiu um automóvel e na queda quebrou o pescoço. O CLUBINHO lamenta o falecimento. Na casa do Zen Bier encontramos o Zen, ex-prefeito e conceituado empresário. A cervejaria não mais o pertence. A melhor piada foi a fantasia no halloween é de boleto. Assunta todo mundo. Não assusta é o cinema que azigreja vão construir no presídio. Record de bilheteria será a fuga de Alcatraz. Roncava kart a noite inteira. Pedro Ernesto coloca gotas de undenberger na caipirinha, mas não fica com o tom de cor das de águas de enchente. O neto do Nei pelo whattsApp pergunta em áudio – vô, qual é o nome de seu amigo que faleceu ?, Um encanto a intervenção dele, sabendo que o vô está no CLUBINHO neste momento. Vejam como fica na lembrança das crianças os nossos textos, principalmente da paixão que tem um neto ao ouvir o que o vô falou. Emocionante. O cardápio um show, dez opções, mignon à mostarda (mas não falha), frango grelado, digo grelhado, Parmegiana, Salmão, Congrio, Risoto de Fugui, Aligot (apelido de um filé com purê) – há quem considerou senha do wi fi kkkkk, massas pomodoro ou bolonhesa ou carbonara. Um show. Duas merças no transporte, uma do veteran e outra com problemas mecânicos. Freia no semáforo o motor apaga. Diagnóstico do Bao – giglê. É só pedir para a patroa pegar na caixa de costura uma agulha e trazer no porta luvas. O Madrugão de Blumenau está soltando fogo em Balneário Camboriú. O bastantão da madrugada. O Bao, na sua avaliação sobre turismo fez um belo texto sobre a cidade de Gramado. Há 30 anos o turismo é matéria obrigatória no curriculum escolar, o que resultou numa consciência. O hotel, o restaurante, as lojas todos não esperam produzir, fazem o melhor em festa, decoração um superando o outro. Profissional. Dia 06 de Novembro comemoramos nossos 38 anos de uma ideia de 1979, com treze amigos que definiram a terça feira como um dia especial. Eram amigos de escola infância, de banda de rock na adolescência, competidores pilotos na juventude e já reconhecidos adultos, cidadãos e profissionais. Solteiros e casados. Chegamos no numero de quarenta, uns partiram mais cedo e nas terças feiras devem estar se encontrando. Hoje dividimos as reuniões entre Blumenau, Brusque e os aposentados em Balneário Camboriú. São eles que fazem do CLUBINHO um invejável grupo de amigos - Pfau, Bao, Mano, Bola, Quico, Wilsinho, Adilson, Evandro (by Madri), Eduardo, Nei, Claudio, Marcio, Daniel, Joel e Fernando. A comemoração acontece no próximo dia 07 de Novembro no Restaurante Moinho do Vale na curva do Rio em Blumenau. Parabéns a todos os amigos do CLUBINHO.

Faleceu Léo

Leo - irmão da Nádio do Bola faleceu nos Estados Unidos num acidente com a motocicleta.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Dia do Dentista

Homenagem dos Amigos do CLUBINHO para Dr. Claudio pelo Dia do Dentista!!!

terça-feira, 24 de outubro de 2017

CLUBINHO em Balneário Camboriú

Reunião e Jantar do CLUBINHO em Balneário Camboriú - Aderbal (BAO) Schaefer

domingo, 22 de outubro de 2017

"CONCEIÇÃO X TADEU"

...era um fevereiro de 1949...um local numa pequena planície...interior de São Joaquim SC, com o nome de Chapada Sêca . Um velha capela de madeira...sem pintura nas paredes externas e internas, umas 4 ou 5 toscas casas, também de madeira, "pinho" ...algumas "farquejadas", cortadas as tábuas com machado ou facão. Não havia serrote ! Apesar de ser fevereiro, algumas geadas já haviam aparecido e começavam a dourar o pasto na pequena planície. O pároco de São Joaquim, Padre João vinha à cavalo, para um dia de reza de missas e batizados. O povo da região, reunia-se como podia...cavaleiros e prendas, trajados à moda campeira, pilchados à caráter. Era tempo de "parabellum 32" pendurado com balas, em cartucheiras vistosas à cintura...facas prateadas que serviam para cortar fumo de rôlo, preparar palha de palheiros...ou mesmo descascar laranjas que eram vendidas em sacos de linhagem branca, vindas de serra-abaixo. Cavalos e selas...pelegos vermelhos ou amarelos...melhores arreios. Mulas com bruacas, que traziam mantimentos para passar o dia...capas de chuva que cobriam aos cavaleiros e ancas dos animais. De missa em missa...de batizado em batizado...virava-se o dia e a tarde. Carros de boi...enfeitados...melhores juntas, cada um ostentava o que podia ! Padre João chamava o público para mais uma série de batizados. Vestido em cueiros de cetim branco e fita azul, o recém nascido ADILSON... terceiro rebento de Antônia e Edison, nascera na Maternidade Tereza Ramos em Lages SC, estava envolto nos cueiros chiques...enfim seria batizado. Padrinho Dercílio viera de Santa Isabel, na melhor pilcha e cavalo alazão ! Começa a Cerimônia, Padre João pergunta - qual é o nome do cristão que vai ser batizado ? De pronto, o jovem campeiro, traje a rigor, bombachudo de botas marrom luzentes, Edison, pai do menino responde: - "ADILSON GOULART MACHADO" . Padre João - "...tá...mas que dia ele nasceu ?" Edison: - 08 de dezembro! Padre Joáo: - "dia de IMACULADA CONCEIÇÃO". - então vou batizar como "ADILSON DA CONCEIÇÃO"...pois tem que homenagear o "Santo do Dia em que nasceu" ! EDISON - como que mordido por cobra...recuou de pronto e gritou: Não Senhor ! Ninguém batiza meu filho com nome de MULHER ! Foi um alarido...puxa prá lá...puxa prá cá...e o Padre Retruca - Só batizo hoje se tiver nome de um Santo ! Dona Antônia - Mãe do rebento - Diz: Padre então...bota o nome de TADEU, pois sou devota do Santo. Assim me chamei ADILSON TADEU MACHADO...na confusão esqueceram do GOULART Texto de Adilson Tadeu Machado.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Aniversário do Barouki

Parabéns pelo seu aniversário Jorge Barouki. Um grande abraço de todos os seus amigos do CLUBINHO.

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Wilson Ribeiro

Wilsinho Ribeiro do CLUBINHO - da equipe de apoio - piloto Claudio Simão no Autódromo Tarumã em Porto Alegre.

JOEL TOLEDO na OKTOBERFEST

JOEL TOLEDO - desfilando na Tomarokpeia (tomahawk moto)

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Nº 40 - Fernando Elimar Pfau

Seja bem vindo, Fernando, como mais um dos bons amigos no CLUBINHO.

Dia do Médico

Homenagem no Dia do Médico de Juliana Machado Bonamente ao seu pai Dr. Adilson Tadeu Machado “Quando você cuida de alguém que realmente está precisando, você vira um herói. O arquétipo de herói é a pessoa que, se precisar, enfrenta a escuridão e segue com amor e coragem, porque acredita que algo pode ser mudado pra melhor.” Feliz Dia dos Heróis.

Ata de 17 de outubro de 2017

Ata do CLUBINHO do dia 17 de outubro de 2017 da reunião e jantar realizada em Blumenau na casa do Zé Pfau de nº 1 na Escola Agrícola. De convidados o Rogério Tribess e o amigo Cunha, de Salvador. Esteve no jantar o Beto Walendowsky e o Vicente Pfau, além do amigo Toni Coelho. Os dias foram de muita emoção pois o Claudio (991629847) assador equipado e especializado tratou um leitão de 20 kilos. Acontece que o assador não atende telefone, não tinha o endereço e ligou nos últimos minutos do segundo tempo, graças ao contato do amigo Rogério. Com duas horas de fogo ele garantiu o jantar. Evidentemente que ficou prejudicada todas as providencias resultantes das anotações para esta arranjada ata. Como, no CLUBINHO, esse assado foi uma novidade, muitos dos assuntos ficaram resolvidos, encaminhados e nada anotado. Muito pouco se falou de futebol e ainda algumas da política. O resto foi vantagens contadas uns para os outros. Como de hábito tivemos concluído o processo de aprovação e admissão de um novo amigo, que passa a compor o CLUBINHO. Contamos agora com o FERNANDO ELIMAR PFAU nascido em 19 de março de 1950 que recebe o nº 40. Ele é anunciado pelo presidente Daniel Chiesa e passa a integrar nosso seleto grupo, no ano que completamos nossos 38 anos. Todas as terças feiras.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Dia das Crianças

Um grande homem é aquele que apesar de envelhecer nunca perde o coração de criança. Um Feliz Dia das Crianças para todos os amigos do CLUBINHO!!!

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Ata na OKTOBERFEST 2017

Ata da reunião e jantar do CLUBINHO realizada na OKTOBERFEST 2017 pelo presidente Daniel Chiesa. Esteve na mesa Vovó e Vovô Chopão personagem criado pelo artista Luiz Cé e marcante presença nas edições da festa desde a sua origem em 1984. Em razão do ambiente muito animado os assuntos em pauta não foram registrados, ocupando assim a OKTOBERFEST um evento festivo no quadro de reuniões do CLUBINHO.

sábado, 7 de outubro de 2017

Oktoberfest 2017

Daniel Chiesa e família no desfile da Oktoberfest 2017.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

CLUBINHO em Balneário Camboriú.

Da reunião Jantar do CLUBINHO dia 03 de outurbo em Balneário Camboriú - Marcio Mesquita ( foto Bao/Wilson)

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Underberg

Vai um Underberg aí! A história da bebida alemã que passou meio século sob disputa no Brasil. Dirigível sobrevoa o Rio de Janeiro: Paul Underberg chegou ao Brasil em 1932 a bordo de um dirigível Uma bebida amarga, a invasão de Hitler à Áustria, uma disputa familiar de meio século e um segredo guardado por monges beneditinos. A história do alemão Paul Underberg com o Brasil tem todos esses capítulos e começa de uma maneira não menos singular, em 26 de maio de 1932, quando ele embarcou em um dirigível rumo ao Rio de Janeiro. A viagem no Graf Zeppelin desde Friedrichshafen, na borda sul da Alemanha, durou cinco dias. Paul era neto de Hubert Underberg, que em 1846 criou um "bitter" digestivo batizado com seu sobrenome. O século 19 disseminou o hábito de se consumir após as refeições bebidas feitas à base de cascas de árvore, raízes, frutas e sementes, que facilitavam a digestão da comida pesada que, naquela época, era conservada em banha animal. Depois de passar pelas mesas da família real da Itália, da Áustria, da Alemanha e do czar da Rússia, a marca desembarcou no Brasil em 1883, quando o país já acumulava algumas décadas de imigração alemã. A chegada de Paul à América do Sul 85 anos atrás era a última etapa de um périplo que passou por quase 50 países, uma viagem sensorial para descobrir novos ingredientes - a essa altura a Underberg já usava ervas de mais de 40 países - e prospectar novos negócios. Paul Underberg: Underberg pouco antes da partida para o Rio, em Friedrichshafen, e já na capital carioca. Ele foi da Amazônia ao extremo sul do Brasil e chegou à Argentina, onde os descendentes de italianos mantinham o costume dos pais de tomar "amaro", nome que a Itália deu ao "bitter". De volta à capital carioca, o alemão decidiu que não queria mais voltar para casa. "Paul desembarcou no Rio de Janeiro e encontrou uma sociedade sofisticada, que em nada lembrava a tensão da Europa pré-guerra", diz André Wollny, atual presidente da empresa na América Latina. Paul Underberg na Amazônia: Registro da viagem à Amazônia. Foi no Rio que ele conheceu Erna von Knapitsch, imigrante austríaca que fugira para o Brasil em meados dos anos 30, depois que o exército de Hitler invadiu seu país. Erna vinha tendo problemas com os soldados que monitoravam a fazenda da família em Kärnten, no sul da Áustria. Propaganda da marca: Publicidade da marca com o mascote da época, "Durante as refeições ela sentava à mesa com os prisioneiros que trabalhavam na fazenda e dava-lhes a mesma quantidade de comida que a família recebia. Isso deixava os soldados muito irritados", conta a atual presidente da empresa, Hubertine Underberg-Ruder, sobrinha-neta de Paul, com base nos escritos deixados pela tia-avó. Discordante do regime, Erna migrou para a Hungria e depois veio para o Brasil. Já casados, o alemão e a austríaca construíram uma chácara no Alto da Boa Vista, na zona norte do Rio, e importavam a Underberg concentrada da Alemanha para finalizá-la no Brasil. Segunda Guerra - Quando a Segunda Guerra Mundial estourou, em 1939, as matérias-primas pararam de chegar à fábrica em Rheinberg, no extremo oeste do Alemanha, e o fornecimento do concentrado da bebida para o Rio foi interrompido. Paul decidiu então tropicalizar a receita com o que descobriu no norte do Brasil. Naquela época, a Underberg já era um "clássico de botequim" no Rio de Janeiro, diz Wollny. Veículo de representante comercial da Underberg: Representante comercial tenta chegar ao destino em estrada de terra no Rio Grande do Sul. Quem fazia propaganda aqui era o "seu Tonico Underberg", personagem que repetia nas páginas das revistas o bordão "um cálice por dia dá saúde e alegria". Com o fim do conflito, em 1945, a matriz na Alemanha retomou a produção e lançou a versão monodose da bebida. A garrafinha de 20 ml, que sobrevive até hoje, foi uma estratégia para retomar as vendas em um país destruído pela guerra, onde não havia praticamente emprego e as famílias viviam com muito pouco. No Brasil, Paul e Erna ainda vendiam como Underberg uma receita diferente da que saía da fábrica alemã. Já comandada pela quarta geração da família, a sede passou a exigir que a empresa brasileira mudasse o nome da bebida - o que só aconteceria quase meio século depois, em 2005. Paul morreu de câncer em 1959. Ele e Erna não tiveram filhos. Segundo Hubertine, o contrato assinado pelo tio-avô nos anos 30 que lhe dava direito de explorar a marca no Brasil também previa que ele a devolvesse à família caso não deixasse herdeiros. Secretamente, contudo, ele passou a companhia para o nome de sua esposa, que continuou produzindo e vendendo a Underberg "tropicalizada" nas décadas seguintes. Fábrica da Underberg no Rio de Janeiro: A fábrica do Rio de Janeiro nos anos 1930. Foram 50 anos de disputa até que, aos 90 anos, a viúva concordou que os Underberg assumissem o negócio. A versão brasileira foi rebatizada de Brasilberg e a original voltou a ser importada da Alemanha. Em expansão internacional, a Brasilberg hoje é vendida no Paraguai, Uruguai, no México e na Europa e vai ganhar uma nova fábrica no Rio de Janeiro, na cidade de Miguel Pereira, prevista para 2018. O segredo - A receita da Underberg é mantida em segredo há 170 anos. Além da família, muito religiosa, a fórmula da bebida sempre foi confiada a pelo menos um padre católico. Não há registro escrito. "Até pouco tempo eram dois padres na Alemanha, mas nós passamos para um terceiro, mais jovem, porque um deles já está velhinho", diz Underberg-Ruder, que se tornou "Geheimnisträger", algo como "guardiã do segredo", quando se preparava para assumir a empresa, no começo dos anos 2000. No total, seis pessoas dominam o método de produção, chamado de "semper idem". Paul trouxe para o Brasil a tradição, que se mantém até hoje. Aqui, a receita da Brasilberg é guardada por um monge beneditino. Isso é tudo o que Underberg-Ruder fala sobre o assunto. O resto é segredo. (fonte pesquisa de Adilson Tadeu Machado - médico)

terça-feira, 26 de setembro de 2017

CLUBINHO em Blumenau

CLUBINHO em Blumenau - Wilson Ribeiro.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Aniversário do Edson Vargas

Amigo Edson Vargas receba um grande abraço dos seus amigos do CLUBINHO.

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Ata de 19 de setembro 2017

Ata do CLUBINHO do dia 19 de setembro de 2017 da reunião e jantar realizado em Gaspar no Bela Vista Coutry Club pelo Joel Toledo. O filho Junior pilotou a churrasqueira e fez um ótimo cardápio, aplaudido e elogiado por todos. Uma excelente reunião. Rimos muito. Falamos da sede do CLUBINHO que se chamava Estrela Vermelha, os mosquitos que levantavam a gente e as boas lembranças de criar, tijolo por tijolo, uma sede. Longe pra danar. Falamos do golpe nos celulares, na enganação de anúncios das listas telefônicas. O Underberger o Joel chamou de baternic. Nem o dr. Google sabe o que é. No asilo se levantar a mão, fica só o crock no chão. Vai tudo. Ainda as emoções dos aviões homenageando no velório. O Joel diz que avião o escape é direto, não usa silencioso. Gonzagão, gonzaguinha, e a mãe no ratinho com o de ene e á. Acácia Amarelo foi a musica do Gonzagão para os irmãos aqueles. O Colombo cometeu a semana farroupilha em pé. Mas bah tchê. Se não for em Lages, vamos de Curitibanos para ser a nossa brasília. No hóquei teve chifre. O amendoim no ouvido ou a sogra com bolinho de bacalhau nem lavando os dedos. E a volta do braço, por traz do travesseiro, para o disjuntor cair. A adriana e o brinco de 1,8 milhões, né cabral. Setenta e dois bodes devoraram a ovelha no reboque. Terremoto no México e no Japão as colunas são coloridas para saber separar no monte. Na Coreia da Morte, o trumpezinho anuncia que quer dar um corretivo, mas se gaga de medo da China. Mijar sentado te sido a ordem do dia. O Toni Coelho reproduziu um vírus no face. O Pedro aquele foi quem mandava do futebol. E no transporte. No estalar do chicote o beto botou. Os duda idem. Na esquina da praça do estudante, vem aí, o habbibs. O Hotel aquele tem sido uma obra dos que se merecem. Sem mais se fomos todos, encerrando mais uma de terça.

domingo, 17 de setembro de 2017

Do Sérgio para o Mauro

Meu grande Amigo Mauro Mesquita deixou este plano para voar em planos mais altos. "Good airplane pilots don't dye. They just change the plane! ". Bons pilotos de aeroplanos não morrem. Eles somente mudam de "plano". Agora Mauro, você pode voar mais alto, mais longe. Correntes térmicas lhe permitirão voar mais alto ainda. Quantas boas lembranças você me deixa. Lembra da nossa viagem com o Tupi para Concórdia com o MajorNeves Moraes. Você me sacaneou o voo inteiro rsrsrs. Quantos jantares em sua casa com sua bela Família. Quantos voos de planador... ZQL, PHO, PHP. Lembra nosso passeio com o Dynamic para o churrasco no Pouso na Serra? ... DO rally no Aeroclube? Da sua gozação a respeito de outro piloto de planador que contaminou o cockpit do ZQL num voo para o Aeroclubes. De São José ... rsrsrs. Da nossa viagem ao Campo dos Afonsos para convidar o Coronel Braga para vir para o Festival de Acrobacias que organizamos em 1987... Do dia que tomamos vodka russa com o Coronel Braga no Bar 14 Bis no Santos Dumont... . Boas lembranças ... somente boas lembranças você me deixou e a todos que tiveram o previlégio de conviver com você... agora que você está imune a todos os males terrenos mantenha seu sorriso contagiante e proteja estes seus amigos mortais que tanto lhe querem ... Vá em paz meu Amigo... Deus lhe chamou porque certamente precisa de ajuda de pessoas como você. Parabéns pelo exemplo que você nos deixou. Vá em paz meu Amigo!!! Sérgio Antonio Schmitz

sábado, 16 de setembro de 2017

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Pilotos e aviões

Emocionante foi a homenagem de despedida que os amigos do Mauro Mesquita realizaram. Pilotos e seus eternos amigos do Aeroclube de Blumenau sobrevoaram a área da cerimônia.

Homenagem de Joel Toledo ao Mauro Mesquita

Mauro Mesquita, nosso Aviador se foi! Que a nossa mensagem seja a nossa própria vida." (Mahatma Gandhi) É muito difícil definir "Amigo"! Ele é mais que ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante; é aquele que ajuda e não espera retorno; é quem entende seu sentimento porque já sentiu, ou um dia vai sentir, o mesmo que você; é compreensão para o seu cansaço; é aquele que lhe diz: "eu amo você" sem qualquer medo de má interpretação; é aquele que faz piada para amenizar seus problemas; é aquele que sabe que viver é ter história para contar; é aquele que sofre com seu sofrimento e entende seu desejo de voar, de sumir de vez em quando.... Foste voar, caro Mauro.... Mas nos deixaste doações de amizade pura, que enriqueceram nossa jornada terrena. Foste voar Caro Mauro, e entendemos o teu desejo de voar.... Em breve iremos também! Abraço Fraterno Joel Toledo

Homenagem do Toni Coelho ao Mauro.

réquiem ao Mauro Mesquita era nosso aviador olhos reluzentes e sonhadores o voar veio com naturalidade tinha fascínio por essa arte.. o estereótipo de piloto.. lindo em seu uniforme idealizado pilotando o mais leve que o ar levou a vida efêmera em função desse sonho ao fugir-lhe o manche das mãos, partiu leve agora como planador.. voou o voo dos justos plainou enquanto possível daqui o vemos lá no alto jogando pétalas de rosas rosas que colheu enquanto vivia....

Falecimento do Mauro Mesquita

Com muita tristeza, todos nós do CLUBINHO lamentamos o falecimento do amigo MAURO MESQUITA.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Ata de 12 de setembro de 2017

Ata do CLUBINHO da reunião e jantar realizado em Blumenau no Boteco Floriano pelo Eduardo Cabeça Silveira. No cardápio o rodízio de petiscos. Ainda permanece a imagem da boa polenta feita pelo Pedro Ernesto. Tradição italiana. Na moda do food truk a cidade cria novos espaços para lanches. O CLUBINHO ainda não tem hino e nem Bandeira, Falamos da liderança do Simão na categoria de competições nacionais. O Guilherme Pfau fez oito mil km de moto (Bahia). Boa foi a da Rua Otto Pfuetzenreiter que o motorista de Joinville disse para o guincho que iria empurrar o carro até a Rua Rui Barbosa para não precisar soletrar. O ministro chorão e os cinquentinha. O cobra aquele exagerou na preparação física. Continua sendo facilitada a oportunidade na excursão a Feira de Santana. O mundo visto de cima no canal Globo Mais é um show. Se o Brasil visto de cima não é tão bom, é porque não é tão bom. As cenas do rapaz que amarra no barbante e introduz é mágica. A do japonês do telefone não atingiu o índice desejável de aplausos. Quando economiza no serviço a qualidade cai. Em Brusque tá linha dura pela morte de um militar. Isso vai ter que acabar. Caminhar na XV aos domingos é um espetáculo de família. De família falamos do encantamento com os netos. É de chorar, mesmo. Realmente é emocionante a intensidade de amor e dedicação que os avós proporcionam. Está entre 12 e 19 o dia do encerramento do ano. Muito cedo. Amizade em férias. Sonhos, fazer um carro com motor V8 Ford Flathead, o Bao já considera fazer uma Kombi, de verdade e até com cortininha. Das antigas a fábrica Simca contratou os serviços da equipe francesa de Jean Sunny, conhecido também como "Le Cascadeur", que fez diversos shows em varias cidades do Brasil em 1964. Euclides Pinheiro deu continuidade aos" Simca Shows", e a Equipe Jota Cardoso também andava em duas rodas. No canal History o Paulo “Loco” Figueiredo mostra o maior acervo automobilístico do Brasil que ele é o espaçoso curador. São mais de 500 carros. Sem estarmos sujos de graxa, como no passado, encerramos e fomos todos.

domingo, 10 de setembro de 2017

Aniversário do Bola

Parabéns amigo Renato "Bola" Goessel. Um grande abraço de todos os seus amigos do CLUBINHO.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Ata de 05 de setembro de 2017.

Ata do CLUBINHO da reunião e jantar realizado em Blumenau no dia 05 de setembro de 2017, na Pizzaria Baggio realizada pelo José Claudio Mor Pansard. De convidados o Toni Coelho e o Fernando Pfau. Foi servida a tradicional pizza na abertura e a lasanha muito boa. Encontramos o Cavilha (aquele da boutique) na entrada. Foi o dia da cirurgia cardíaca do Boanerges, irmão mais velho do Adilson. Tudo bem. O Nildo foi quem achou um cigarro e fumou. O Golias tinha um humor diferenciado. E a estrela Rogéria que morreu-se toda, era uma bicha da família brasileira. Rimos muito do rapaz com a roupa da mãe, explicando que agora sou sua filha e a mãe mandou lavar louça. Dinheiro não vai faltar para o Brasil, com as bolsas e as devoluções da lava jato, vai acabar a crise. Na Floriano amarelou o enxaimel da esquina. Tinta só deveria ser adquirida com receita médica. Terrível a do passar o pretinho no pneu. Diz o Wilson que o melhorzinho do Brasil é o Felipe Coutinho. O Daniel provocou a polemica da ponte. O projeto que não se aproxime dos ipês. Deu início as barbaridades da política. O leite de magnésio aquele, foi na Rússia pedir seleção de ingredientes no hamburger. As histórias das viagens das arábias são ótimas. A cultura da China é um espanto. Fau na área é pênalti. O caféhaus é um show na Humberto de campos. Mais uma errada do shopping. O Governador Konder Reis fez uma obra de arte no texto do pronunciamento do emissário submarino de Balneário. Falava muito, ele e o Laerte Vieira, o Jaison e o Félix. O Collor era caçador de marajás. Se acabou numa Elba. Coronéis, o Lucena, parente do Evandro, que era forte. Juruna e o gravador. E agora o Fufuca. Na história o Poncio Pilatos era chegado numa bola. José era marceneiro sabia escolher a madeira. Cruzes. Jogar a primeira pedra era para quem era certeiro. E ele não caminhava porque tava pregado. Desenvolvemos assim a base do terceiro e o mais novo evangelho. Daí vai para o pinhão de Lages. Aguas de Piratuba e o jeep Toyota 66. Então fomos pintar a bola com nugget, que deixava o bico do tênis branco. E tinha o folclore do piiisssss nas bolas altas. Rimos muito e encerramos com a decisão da porra do juiz que absolve quando é no pescoço. Engolir nem pensar. Concluímos, nada mais tendo a registrar, encerramos.

domingo, 3 de setembro de 2017

Texto do ADILSON.

Uma História de Caserna...”Tributo in Memorian – IVO BRASSIDES WEIMER”.
Conheci ao Ivo, ano de 1966, éramos integrantes da Companhia de Comunicações, na Escola de Sargentos das Armas, em Três Corações MG. No primeiro semestre escolar, como não tínhamos especialidades de Armas definidas ainda (Infantaria, Engenharia, Artilharia, Cavalaria e Comunicações), éramos “arranchados”, nos alojamentos das Companhias como se tal Arma já integrássemos. Ivo, no alto de seus 2 metros de altura, loiro, olhos azuis, um sorriso bonachão, sotaque gaúcho de colono, do interior, nascido em Frederico Westphalen RS, conquistava a todos pela simpatia. Em conjunto com nosso time de Basquete da Companhia de Comunicações, conquistamos a Olimpíada Interna da EsSA. Ele e o Roberto, outro jogador carioca com 2 metros, foram os astros do Dream Team das Comunicações no ano de 1966. Quis o destino, que nos classificássemos para a Especialidade de Radiotelegrafia, com mais 8 colegas, curso que finalizamos no Rio de Janeiro na Escola de Comunicações do Exército, na Vila Militar, em Deodoro, Zona Norte do Rio RJ. Nossa saída de Três Corações foi em trem, 2 vagões lotados de Alunos militares que classificados por especialidades, seguimos pela Serra da Mantiqueira em memorável viagem de 16 horas. Ao sairmos de Três Corações, recebemos as “rações”, alimentação, um sanduíche de pão com mortadela e manteiga, dois ovos cozidos e duas laranjas. (Almoço e Jantar). Com isto viajaríamos até ao Rio de Janeiro. Já no caminho surgiam as “trocas”...quem não gostava de ovo, trocava por laranja, ou pedaço de sanduíche. Ivo acumulou um farto estoque de “ovos”. Já no caminho, ao longo do trecho, não era possível, sentar-se ao lado do Gaúcho...era farto o bombardeio flatulento e o odor insuportável. Banco vazio ao redor dele, fazia com que civis, que embarcavam nas paradas de trem, em cidades do interior, sentassem ao lado do simpático “alemão”. Todos nós à distância, divertíamo-nos, nas apostas, de por quanto tempo os “paisanos”, aguentariam ao Alemão. Serra da Mantiqueira...muitos túneis...momento ideal de Ivo despejar suas granadas flatulentas, cujos ruídos, eram festejados aos gritos de “hurra”, pelos demais “milicos” às gargalhadas ! No Rio de Janeiro, nos integramos à nova Escola. Corpo Militar, pequeno, nas especialidades de Mecânico de Rádio e de Radiotelegrafia. 36 alunos , utilizávamos alojamento único, camas e armários de aço. Os toques de Alvorada (às 06:00 horas) e o de Silêncio (às 22:00 horas) era feito, por uma central, onde um toca-disco, ligado a altofalantes no pátio, repetiam ao som de clarim. Disco velho e desgastado, desafinava o toque...ouvíamos primeiro, ao chiado do disco compacto, para depois o som do clarim. Quando surgia o chiado, costumávamos bater as palmas das mãos, sobre as pernas, imitando galos, batendo asas, como se preparando para o canto matinal ! Divertíamo-nos ! Isto levou a Direção adquirir equipamento novos ! Ivo, não se sentia confortável na cama de aço. Dimensão menor que sua estatura era um sofrimento para acomodação. A atrapalhar tudo isso, um córrego poluído, nos fundos da Escola, fornecia no calor carioca, um estoque monumental de pernilongos, cuja pele branca do alemão, era um alvo predileto a cada noite aos infernais ataques. Belo fim de semana, encontramos o alemão Ivo, exultante, costurando um mosquiteiro de filó. De agulha, dedal , tesoura e linha, o alemão havia recebido dinheiro da família e comprara o “material de defesa”. Todas as noites, pouco tempo antes do Toque de Silêncio acontecer, o ritual do Ivo, montando o mosquiteiro sobre seu leito, era repetido. Profunda inveja dos “companheiros de alojamento”. Veio o “contra-ataque”. Durante o dia, nos intervalos dos “tempos” de aula, surgiram caçadores de “mosquitos e mariposas”, no pátio da Escola, guardávamos em “caixa de fósforos”, era a “munição de ataque ao Mosquiteiro do Ivo”. Hábito salutar, todos tinham que fazer higiene bucal, (escovar dentes) e tomar banho antes do toque de Silêncio. Os “guerrilheiros”, esperavam o alemão Ivo ir para o banheiro, abriam debaixo da cama, com o mosquiteiro armado, toda a “munição capturada” durante o dia. Como a Luz é apagada no toque de Silêncio e ninguém mais pode fazer barulho, contava-se os minutos, após o Ivo deitar-se, para que ouvíssemos o berro de “FILHOS DA PUUUUTA” do alemão. Era um pandemônio de gargalhadas...e o Aluno Plantão do Alojamento, desesperado tentando manter o Silêncio para não ser punido pelo Oficial de Dia. Querido Alemão nos deixou, recente. Médico Veterinário, Oficial do Exército Brasileiro, fiz contato por telefone há algum tempo, com ele 40 anos depois...ao atender o Telefone eu disse: “Você ainda usa mosquiteiro?...Sou um dos que largavam mosquitos sob sua cama...ele com aquele sotaque clássico alemão colono..."ENTÃO TU ÉS UM FILHO DA PUUUTA ! ". Rimos e choramos. Saudades !

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Ata 29 de agosto 2017

Ata do CLUBINHO da reunião e jantar realizado dia 29 de agosto de 2017 no Clube Bela Vista em Gaspar pelo Daniel Chiesa de nº 35. No cardápio uma sensacional receita de codornas com polenta. Polenta muito boa, mas sem o uso de utensílio parolo e méscula. E não foi cortada no barbante. Mas ótima. Em ótima companhia com convidados como os amigos, hoteleiro Alcir Felippi – convidado do Bao, bancário aposentado Fernando Pfau – convidado do Zé e o cardiologista famoso Djalma Faraco – convidado do Daniel.. Destaque na presença do nosso representante internacional Evandro Scussel diretamente de Madrid. Foi no dia em o Brasil comemora que o fufuca foi indicado para presidente. Que o casal no restaurante diz para o garçon, que não comemos carne, verduras só orgânicas, nada de glutem... e o que o sr. nos recomenda ?. Chamar um taxi - respondeu o garçon. Falamos de mega milionários. Que o neymar junior ta jogando muito. Que o rapaz do boxe joga cédulas para as morenas. E quem gosta de levar soco geralmente acaba pobre. O réu diz ao advogado - te pago 50 mil euros se tu conseguir uma pena de um ano para mim no julgamento. Conseguiu, ganhou a grana, mas disse que foi complicado. O juiz queria te absolver. Nossas piadas internacionais são em euros. Internacional mesmo não é piada, uns colorados ensaiaram o hino na mesa. Naquela história do baby doll - preso nos dentes, com regurgitação ao final - voltou. Tinha um carlinhos, outro professor buba e o jardim. O último era discreto, mesmo assim a turma da cueca foi pra rua. O do colégio era horroroso. O cunhado do asdubral chegou a ter um espaço para festinhas da juventude aos domingos de tarde no Restaurante Cavalinho Branco. Contam os frequentadores que se chamava CLUBINHO. Os Beavers tocou lá, confirma o guitarrista base do conjunto e que o mordomo era o badia. Num baile de debutantes no tourist em laguna, hospedados na pensão próxima, a turma invadiu a piscina do majestoso e debitou a conta no apartamento do promotor. Outros assuntos foram abordados, com maior e menor importância mas no registro somos obrigados a enaltecer as habilidades culinárias do Daniel pela criatividade na codornafest. Sem sonolência precoce os assuntos foram prolongados. Mesmo assim tivemos que encerrar e se fomos todos.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Obrigado, Soldado - 25 de agosto, Dia do Soldado

Obrigado Soldado

Obrigado, Soldado - 25 de agosto, Dia do Soldado
https://www.youtube.com/watch?v=YKgvDXWJAQM Produzido pelo Exercito Brasileiro o vídeo que faz um agradecimento e uma homenagem aos Soldados Brasileiros. Cenas foram gravadas em Blumenau e entre os importantes personagens a imagem do amigo Dr. Adilson Tadeu Machado. Ele agradece também seus comandados que na época das enchentes de 83/84 tiveram fundamental participação ao socorrer nossa comunidade. Um belo documento que nos enche de orgulho, todos que admiramos o nosso Exército e que em especial e com muito carinho o Adilson como amigo.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Amizades

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Na Argentina

Claudio e Lorena na Argentina

domingo, 20 de agosto de 2017

Bernardo

Bernardo - medalha de Bronze no Campeonato Estadual de Natação - 50 metros peito Parabéns a família do avô Adilson Tadeu Machado.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

CLUBINHO em Balneário dia 15 de agosto

Neto do Mano.

Nasceu Noah , filho de Marina e Carlos André Moreira. Neto do amigo Mano & Iara Walendowsky

sábado, 12 de agosto de 2017

Dia dos pais

Desejamos a todos os Amigos do CLUBINHO um Feliz Dia dos Pais!!! - Votos de Daniel Chiesa - Presidente.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Aniversário do Joel

Parabéns Joel!!!! Feliz aniversário!!!! Um abraço dos amigos do CLUBINHO!!!

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ata de 08 de agosto de 2017

Ata do CLUBINHO a reunião e jantar do CLUBINHO do dia 08 de agosto de 2017 em Blumenau no Salão de Festa do Edificio Bergamo pelo Gilson - Kiko - Soutinho. De convidado o amigo Sergio Jurad. Na grelha uma suculenta e boa carne com as delícias de complementos da cozinha caseira. Tinha até toalhinha embaixo do prato. E sobremesa (quase esquecida na geladeira). O Wilson contou histórias de vendas, experiências e profissionais experientes na arte de encantar clientes. Caras que sem conhecimento técnico conseguem absurdos resultados só nos relacionamentos. Avaliamos a venda e a compra dos alemães. Das novas industrias alemãs na região, com alta tecnologia até de filtragem prensada. No tradicional brinde para os apressados não há para quem negar, até porque todos somos flex. No futebol foi novamente uma vergonha. Botafogamos e prometemos muitas vantagens na tabela para o Grêmio e o Corinthians. As chances, as possibilidades, enfim um chute no saco. No tempo de mordomia presidencial temos saudade do saldo do corporativo. Pela antena o Bao sabe que Sky agora tem a Globo. O cara aqui do vale que assistiu a formula uno da varanda em monaco. O Azavan convidou o seo bolinha para um trago. Grandes magazines. O nosso BEC é campeão. Já no banco o mané diz que se chama prime ou personalite. Camarão é ridículo. O Mano aquele parece navio negreiro, cheio, lotado de muitas escravas. Na opinião, quem já foi, pode vi, ser como convidado. Quem diria a Venezuela tá numa de zé arruela. Caminhão pesa o peso independente dos eixos. Pneus ficam no eixo, em baixo e no peso, que é o peso. As vezes o CLUBINHO também é balança. As prefeitas do litoral e as bombinhas. Lá no Barsa a Chape tinha 50 mil e era só a metade da lotação. Grandes nomes tiveram o previlégio de frequentar o time do CLUBINHO. A sensacional Claudia Raia e a mínima e rápida aparição no Baturité do Maestro. Triste mesmo foi a conversa com o Juca Chaves. Essa tirou a graça. O rapaz se passou. O azavan e as grandes pegadas com o ratinho. Trapalhões e o Sergio. As alavancadas e outras tantas. Como era, como funcionava, aonde moravam, como viviam, você ficou sabendo isso e muito mais no zé repórter nesta terça. A história de namorada com a namorada no Aquarium e outras sociedades de grandes lucros. Boas lembranças e grandes histórias nesse capitulo da resenha de hoje. Se fumo.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

GABRIEL de fusca.

Neto do Nei Azambuja fuscando.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Antunes Severo

Aniversário do amigo do CLUBINHO - Antunes Severo.
Procrastinar Tenho, entre os profissionais que me apoiam no tratamento que faço para compensar os desgastes dos 85 anos de janela que cumpro hoje, três notáveis exemplos de competência, dedicação e participação: a médica chefe, oncologista, a terapeuta do Pilates e a médica terapeuta especialista em medicina tradicional chinesa. Elas me acompanham, na prática, às 24 horas do dia: pelo telefone, WhatsApp, mensagem ou e-mail. Ontem, primeiro de agosto de 2017, às 10 horas da manhã, Preta e eu recebemos a visita da terapeuta que lida com as minhas emoções, idiossincrasias, hábitos, manias, preconceitos e desvios mentais. Ela monitora tudo isso e ainda faz aplicações de acupuntura e chás, os mais diversos. Esquecia de dizer. Há, ainda, um médico, clínico geral e especialista em emergências, que fica a nossa disposição durante às 24 horas do dia. Exagero? Nada disso. Comprometimento. Que neste caso é complementado pela disponibilidade do telefone da esposa quando o marido está atendendo alguma urgência. Fantasia? Sonho?Alucinação? Nadica! Isso se chama qualidade de atendimento. Coisa para Marajás? Também não. Sou funcionário público. Professor Universitário e vivo do meu salário de aposentado. Nossos bens? Um apartamento de 80 metros quadrados, no bairro Estreito (na parte Continental da Cidade). Aonde quero chegar? Em você. Primeiro, grato por ter vindo até aqui, segundo por ter aceito (ou aceitado?) o convite para continuar. A palestra da terapeuta das minhas excentricidades falou durante uns 45 minutos citando casos e analisando resultados. Ela iniciou pegando pesado, embora de maneira deixada e convincente: “O corpo humano é perfeito”. Argumentou, citou casos conhecidos. “Os médicos são auxiliares. A responsabilidade pela cura é do cliente”. Discretamente percebi que ela estava se referindo às atitudes que ando assumindo para justificar a demora da minha recuperação. Foi direto ao pote: “E você? Quais são seus planos futuros? “. Para aliviar ela ponderou: “Todos nós precisamos ter planos determinados, organizados e priorizados, se não, não se chega a lugar nenhum”. Gelei. Ela me pegou em flagrante. Sou um dos maiores procrastinadores entre os que conheço. Engoli em seco. Quis desviar o assunto, mas ela foi mais rápida: “Pode apresentar alguns? “ Enquanto pensava na resposta, escorriam pela minha mente uma série de verbos nada enaltecedores: transferir para outro dia ou deixar para depois; adiar, delongar, postergar, protrair. Fui sincero com ela: esse é um dos meus maiores males. Sei que estou protelando, relegando para segundo plano, mas para parecer “bonitinho para a plateia”, me sacrifico – e muitas vezes, até prejudico alguns amigos. Com este exemplo, me declaro em falta com a natureza e as leis universais. Ao mesmo tempo renovo a minha gratidão para quem me trata com tanta deferência e bondade. PS 1 – Crie um propósito. Crie rotinas positivas, antes que sua mente as crie por impactos emocionais. Quebre suas rotinas de todos os dias, todos os dias. As rotinas podem ser prazerosas. Se esforce em fazer três coisas diferentes por dia. PS 2 – Quando fizer um plano, faça-o ilimitado. “Vou chegar a ser! “ PS 3 – O poder está comigo. Está na minha atitude. PS 4 – Grato pela companhia. Publicado em: 02/08/2017 http://www2.carosouvintes.org.br/procrastinar/. Por Antunes Severo Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Ata de 1º de agosto de 2017.

Ata do CLUBINHO do dia 1º de agosto de 2017 da reunião e jantar realizado em Blumenau na Churrascaria Ataliba pelo Adilson nº19 Tadeu Machado. O cardápio os exageros da carne. O Adilson estava desconfortável recebendo visitas, com expediente no Zoo em Pomerode e com a preocupação com o irmão mais velho –Boanerges - internado na UTI com problemas pulmonares em Florianópolis. Todos desejam boa recuperação. Era futebol o tema forte de abertura de pauta. Botafoguemos, fomos para o Grêmio, Flamengamos, Cruzeiro e com algumas derrapadas políticas. Baixamos a bola. Felizmente conseguimos manter o nível e falar mesmo dos rapazes riquinhos correndo atrás da bola e de shorts. Volta e meia a bola caia na área em Brasília, raspava no travessão dos políticos. Mas com muito suor conseguimos manter a bola para cima e falar de futebol. A atração na semana foi o peixe que caiu no anzol – foto e vídeo no zap zap – preso pelo rabo, na foz do ribeirão da Velha, bem perto da ponte de ferro. Um belo dourado. Já, considerado o melhor de todos o vídeo do cara que pediu para o pai uma moto e ganhou um violino. Buscando a moto está o amigo Joel com os amigos socorristas de Mendonza. Um passeio agradecimento. Roçada foi o que fez o Paulo Muller no acidente. O casamento do Marcel com a Ana Célia foi a festa do Wilsinho na semana. Buscando o vestido estourou um pneu, vestido de pai do noivo. Há quem avalie como com gravidade e problemas o que aconteceu no CLUBINHO no último escrutínio. A 470 de Indaial à Blumenau está um tapete. Recapado dos dois lados. Puro são os nossos alemãezinhos. Burros. É outra coisa. Uma vez. Pela soma de pontos na carteira até já foram recebidas cartas. O texto convite é objetivo – venha entregar a carteira. Acontece que há contestação e há como transferir pontos para os outros. Daí entramos na conversa sobre padres bonzinhos e padres não bonzinhos. Na disciplina do ginásio realmente lidamos com grandes estúpidos. Por isso somos assim, ogros. E os bem dotados desfilaram na conversa. Assunto ruim, hein. Fomos para a diabetes e as coisas nada agradáveis que nos acontecem. Diz que o bicho pega três vezes na vida, se numa você estiver pra baixo a coisa fica feia. Falamos – ficha completa – da família do Henry. De um tempo que se frequentavam as casas e conhecíamos os pais. Dai falamos de muita grana, do barco de aço inox, de pesca que fica naquela morada do forte em Governador. É muita coisa, galpão com freezers e freezers cheios de camarões e lagostas. Serviço classe três AAA das fininhas. Lá no fim, tudo acaba e o pau vai comer. Falamos dos nomes, daqueles da curva, dos que ficavam atrás da trave no campo do Deba. Ali da rua do Alvin, perto do ferreiro. Era muita fumaça. Muita mesmo. Uma turma de amigos que se adiantaram. Encerramos com a certeza que na p´roxima terça feira tem mais um CLUBINHO, tem nova ata, mais uma resenha, nos nossos 48 anos de histórias. E estórias.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Joel & Sra em Mendoza

Na ARGENTINA com amigos no Parrilla Restaurant Don Mario em Mendoza - Vivian e Jorge; Lucia e Joel; Elizete e Caviquiolli -

sábado, 29 de julho de 2017

Aniversário do Bao

Parabéns Aderbal (BAO) Schaefer -todos os seus amigos do CLUBINHO lhe mandam um grande abraço pelo seu aniversário.