quinta-feira, 30 de junho de 2011

Ata de 28 de junho de 2011


Ata do CLUBINHO do dia 28 de junho de 2011 realizado em Balneário Camboriú pelo Nei Azambuja de nº 31 com a reunião jantar no restaurante do molhe da barra sul. (sei lá o nome, escreve a ata o Mauro Mesquita) No cardápio tainha frita e grelhados ao molho de camarão. De convidado do Nei, o Alvaro, do Bao, o Miguel de São Paulo e o Beto, irmão do Mano. Ao nos abundarmos já notamos que o restaurante balança sem parar, afinal é um barco, combinamos que se alguém marear deverá gorfar pela janela. O Márcio pediu, quero um choops, aqui temos um bom ? bem,,, disse o garçon - o nosso até que é bonzinho. Traz uma cerveja em caso de dúvida. O Eduardo “cabeça” dedurou a patroa; ela ronca. Quem ronca sou eu disse o Bola. Pior que eu, não existe, disse o Nei. Nota: - todos dormem em quarto separado. Mas a minha - deixa o maior cheirinho embaixo da coberta, disse um incógnito. Floripa ser a meca dos gays; são as correntes migratórias do sul, chegamos a conclusão. Eles vem de lá, e param aqui. Os gaúchos não gostaram. O amigo dosóios novos está um mês ser 'exercitar-se', ordens médicas, sem esforço algum, foi a ordem, - se eu choro saem lágrimas brancas, tá estocado até o teto... tá chamando urubu de minha loira. De minha loura fomos a Verinha Fischer, alguém refugou, tá gasta a nójenta. Ninguém acreditou. As “coisas” boas também tem família, talvez nem tão boas. Numa atitude animal na mesa, o cidadão abre completamente a janela, reclamou que o ambiente estava abafado, fazia quatro graus, lá fora e ventava, conclusão dos presentes, o Bao nasceu em São Joaquim. Cumuruxatiba, é uma aldeia de índios, era onde morava o nosso Pedro Ernesto até ontem, voltou para Arraial. Lá, diz ele, agora tenho até água na pousada, um luxo e a energia ainda não, disse ele pelo telefone. Na antiga discussão se voga ou não voga - salto de sapato não voga, dedinho também não, mas, bico de sapato voga, principalmente porque ele se alarga rapidamente, do bico até o peito do pé. uuuuiiiii.... Alguém contou que está comendo banana com aveia qüáker para diminuir a tia béti, ao ouvir de esguelha, disse nosso “champion”, heimm ? avéia kuáquer? não conheço, mas traço, tô à perigo. O Mano está agenciando os Beatles da Argentina, “mui bueno”, disse que vai trazer pra tocar pro CLUBINHO. “de grátis” - pô,,, mas são argentinos.. de grátis é caro. O Kiko estava mui cansado, não sei se durmo aqui em Cambú mesmo, mas porque não? Cruuuzzesss... Ao lembrar das namoradas do falecido, o Lelo estava animado e agitado, mas como? ele só tomou duas cocas. Descobrimos que carrega uma garrafa estratégica de pitú, escondida dentro do casaco e ela já estava vazia. E assim, cuidando para o cambaleante amigo não cair dentro do rio/mar, andamos até o estacionamento onde fizemos a já tradicional rodinha, afinal sempre se tem assunto, quando alguém gritou : - tá um friu dokaraio - e se fomos todos rapidinho. E no relógio da praia...três graus...e ventava........

terça-feira, 28 de junho de 2011

O futuro do campeão...


Segue na tela o torneio que o sobrinho João Vitor papou neste final de semana em Córdoba (Argentina) Este torneio já é da categoria mundial juvenil 18 anos, onde ele começou a participar direto agora, e vale pontos para o ranking internacional de juniores. O detalhe que ele tem com 15 Anos de idade, mas com grandes chances de vitórias nesta sua caminhada frente as quadras de tenis. - fonte - Do tio Mano Walensdowsky.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Um meio ou uma desculpa



Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá que se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo. Se quiser um casamento gratificante, terá que investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo. O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem, mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso. Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina. A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é combustível dos perdedores, pois... Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio... Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa! Pense bem nisto ! Que a sua vida seja o reflexo de suas atitudes.(Por Robert Shinyashiki)

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O melhor conselho



Um jovem recém casado estava sentado num sofá num dia quente e úmido, bebericando chá gelado durante uma visita à casa do seu pai. Enquanto conversavam sobre a vida, o casamento, as responsabilidades, as obrigações e deveres da pessoa adulta, o pai remexia pensativamente os cubos de gelo no seu copo, quando lançou um olhar claro e sóbrio para seu filho, e disse: Nunca se esqueça de seus amigos! - aconselhou. Serão mais importantes na medida em que você envelhecer. Independentemente do quanto você ame sua família, os filhos que porventura venham a ter, você sempre precisará de amigos. Lembre-se de, ocasionalmente, ir a lugares com eles; divirta-se na companhia deles; telefone de vez em quando...Que estranho conselho - pensou o jovem. Acabo de ingressar no mundo dos casados. Sou adulto. Com certeza minha esposa e minha família serão tudo o que necessito para dar sentido à minha vida! Contudo, ele seguiu o conselho de seu pai. Manteve contato com seus amigos e sempre procurava fazer novas amizades. À medida em que os anos se passavam, ele foi compreendendo que seu pai sabia do que falava. À medida em que o tempo e a natureza realizavam suas mudanças e mistérios sobre o homem, os amigos sempre foram baluartes em sua vida. Passados mais de 50 anos, eis o que o jovem aprendeu: O Tempo passa. A vida acontece. A distância separa... As crianças crescem. Os empregos vão e vêem. O amor se transforma em afeto. As pessoas não fazem o que deveriam fazer. O coração para sem avisar. Os pais morrem. Os colegas esquecem os favores. As carreiras terminam. Mas os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo nem quantos quilômetros tenham afastado vocês. Um AMIGO nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo em seu favor e esperando você de braços abertos, abençoando sua vida! Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabemos das incríveis alegrias e tristezas que experimentaremos à frente, nem temos boa noção do quanto precisamos uns dos outros...Mas, ao chegarmos ao fim da vida, já sabemos muito bem o quanto cada um foi importante para nós! Remeta este texto a todos os amigos que ajudam a dar sentido à sua vida...

Colaboração Nido. Não cita o autor dessa obra, a publicação não é inedita, mas sua validade é eterna.

Ata de 21 de junho de 2011


Ata do CLUBINHO da reunião jantar realizada pelo José Claudio Pansard de nº 34 na Pizzaria Baggio em Blumenau, na Sete de Setembro próximo a ex-casa da família Blohm. No cadápio deliciosas pizzas e lasanhas. Uma quantidade enorme de jarras de sucos de frutas na mesa. Para tristeza para quem é da área, que a considerava uma gatinha, morreu a ex-vedete Vilza Carla aos 75 anos. O Kiko diz que definições explicam que a mulher é tudo igual, a primeira é a primeira, a segunda e depois vai no trambulhão. O Bola diz que pacote de pinhão na Beira da estrada é R$ 2,50, se parar de BMW é R$ 5,00. A obra da ponte de Ilhota, diz o Eduardo “cabeça”, vai que vai. O fundamento é com dreno, mangueiras retiram a água com peso do aterro. CLUBINHO também é engenharia da contrução. Hoje começa o inverno e a previsão é chuva. No desastre passado foi ½ metros de água e os rasgos nos morros ainda se vê. O Adilson foi de “Spider man” na festa do neto. Na descoberta de novos locais gastronomicos, o Bola e o Eduardo “cabeça” foram no Manolo´s em Gaspar, ao lado do posto Ipiranga na Avenida das Comunidades. Lembramos do Rudinick em Guaramirim com caldo de cascudo. Aquele espetinho do garcia tem “delivery” que enche sua casa de camarões. Em Balneário tem benzedera para “pinguela caida”. Aqui, garrafada e a frau vanka são os viagras de ontem. O Braz era do HM cobrava de jeep, 58, seis canecos, com o melhor som do pino chorão. O Mauro do Bola andou na ferrari preta. O nosso Mauro diz que o ronco desse bicho é afinado por nota musical. Em Sampa numa exposição tinha stand da Ferrari e quando o bicho ronca lota de publico para ver e ouvir. Já no tema “muiiitchagrana” o Eduado “cabeça” foi num condomínio em Balneário cuja estrutura é gigante, maior que um clube. Na veja diz que o craque falcão do futsal comprou um apto desse em Balneário. São taxas e taxas de condomínio enormes. Tem até piscina com borda infinita. Já na nossa realidade o Cláudio chamou o garçon e pediu a pizza com borba, mas sem recheio. O Eduardo “cabeça” pelas manhãs no carro - ele “ovo” - a Rádio Jovem Pan com o Tuta e o Milton Travesso, que estes dias comentaram do Ronald Golias, comediante que pelo sucesso que fez morreu relativamente pobre. Se falou na mesa da Mulher Invisivel com Luana Piovani e que ninguém gostaria de ter um criadora de caso como ela. E que ter ou não ter é questão de pagamento para não incomodar. Caso contrario rola tesourada. Vão relançar o Astro, agora não com Cuoco e sim Rodrigo Lombardi. Sonia Braga tinha caso com Robert Redfort diz o Lelo. Economizamos, não precisamos comprar a revista “Caras” deste mês. O Cláudio contou a origem do “protrétrico” que era o pratico e que lá nas antigas iniciava na barbearia. A cadeira do barbeiro era usada para tratamentos dentários, lá na origem da história da profissão. No CLUBINHO também ficamos de boca aberta para o conhecimento e a cultura. E a história do cara que escalou pelos tubos nas belezas das montanhas do país da “Sissi”, se engraçando com umazinha de bogota. Entrou pelo cano, tá de fora, assinou tudo, tá de volta, tá no ócio e agora so se for “brastemp” igual ao pai. Nessa onda tem cherador e até maridinho e novo rico. O professor que lia jornal na aula com buracos para ver os alunos. E era dois irmãos, um era contra cabeludos e outro a favor. (hmmm). A irmã liria perguntava quem quer ser padre. O Kiko foi pra capela e voltou afirmando que não. O cara da cantina do colégio queimou as bolas na sauna. Esse mesmo do bar, o beta, foi com ele a brincadeira do morreu para ver chegar em casa coroas de flores. Já o outro do ministério da agricultura nunca mais vai no clube com carro oficial. E a carne temperada é lei e/ou carne velha. O cara do trimania da floriano é um arquivo vivo de cinema antigo. Diz que o Adilson anda falando com ele. Ele sabe tudo até do Johnny Weissmuller (sem trema), que tinha 3 ou 4 “cover” para os gritinhos. O Eduardo “cabeça” anda com seu “capacetinho” de bicicleta pela city. O Bola diz quer “silin” da bicicreta dele é com capa de franja e o “embrema do framengu”. Já o “boca” usa “slaks” citricos. Bernudinha fencada ou mesmo “aquela” freiada na cueca branca. Aliás é dificil até “quarar”. Roupa engomada e usar anil é coisa da casa da mãe. Camisa volta ao mundo, de plástico, com suvaco amarelo. Aquela da argentina com o Lelo não era feijão era cebolinha verde. O Pedro Ernesto conseguiu com a carmosa no cartório certidão de nascimento para se aposentar. As histórias do doido do Amilton. Diz que os três não são uma “flor” que se cheire. Roberto Carlos é o rei. Romantico porque ama muito ou ama muito porque é romantico? As aventuras em lideranças do Cascais. A historias da chiquinha, de casamentos que não se consumavam. Os “adolfos” embaixo das cobertas, as dormidas na sala e o terror da “mami”. Flatuladamente, sem ser alto e de bom som, o Mauro fez oficialmente o toque de encerramento da reunião.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Pai, começa o começo !


Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: - “pai, começa o começo!”. O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito. Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios. Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis...... Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias. Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus: “Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você. Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o começo!”.

Fonte e-mail Beto Day - não consta o nome do autor.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Vaca da hora


Deu a "vaca da hora"
Comunico que na primeira etapa da COW PARADE estamos selecionados para provavelmente participar do trabalho de produção artistica de uma estátua deste importante concurso em Santa Catarina.
A base do nosso projeto é decorar a vaca com peças de relógio.
Na etapa seguinte os "patrocinadores" irão escolher os projetos entre os selecionados.

http://www.facebook.com/cowparadesantacatarina?sk=app_179198188802444
(na lista nº68)

José Geraldo Reis Pfau

Ata de 14 de junho de 2011


Ata do CLUBINHO do dia 15 de junho de 2011 da reunião e jantar relizado pelo Eduardo “cabeça” Silveira de nº 30 no Ristourante Funiculí Funiculá – Pizza & Pasta na Hermann Hering, 532 no Bom Retiro em Blumenau (www.funiculifunicula.com.br). Rodizio de massas espetácular. Não tinha peixe, nem eisbein é uma casa de massas e o Kiko perdeu o celular. Era noite de aniversário do Mauro Medeiros de Mesquita conforme homenagem no nosso blog e aplaudido e homenageado no melhor estilo. Trouxe dez "real", liberado pela Rose, para despesas e prometeu deixar o troco para cobrir as depesas com as demais bebidas. O cartão do Comind a córdula levou. . Interessante o e-mail da produção de vinho na serra catarinense (ice wine). Como também daquela moça de homenagem solitária que se cansa ao final. O nome do ristorante é o mesmo de uma canção famosa escrita pelos italianos Giuseppe 'Peppino' Turco e Luigi Denza em 1880. Ela foi composta para celebrar a abertura do primeiro bonde ou funicular do Monte Vesúvio. Ilustração cultural do Adilson, que ameaçou contar pro Pfau a história da águia negra. O Daniel diz que chineses inventaram máquina de extrair semem humano, que pode ter seu uso pornograficamente adaptado. No Brasil se chamaria “bronheira”. O Cabeça diz que o homem é a “cabeça” do casal e a mulher o pescoço. Ou seja virá para cá, vira para lá. O Evandro voltou pra Madri passando pela Bolivia para pegar o pacote. Tem tanta moto no transito que os números de passageiros em ônibus caiu 30% no Brasil. CLUBINHO também é planejamento urbano. O Lorenzetti em sampa foi atropelado andando de bicicleta. Diz o bola que não necessitaria aquele capacete com um chuveiro em cima e com água quente embassou a visão do rapaz. As cinzas do vulcão já chegaram a Floripa, vai ser feriado. Sobre a primeira ministro do país, não vamos chamar de baiacú e nem colocar de biquini para esperar a tainha. Se acredita que o “palofi” deve ter negado algo importante para os “campanhero”. Politicamente chegamos a comentar que o supremo está infestado. O kiko diz que numa suprema perdeu dinheiro. O garçon era peruano. O Bao ficou intrigado porque nós brasileiros modificamos nossa maneira de falar para se adaptar a eles. “mais um pouquito?” e nós respondemos “nom, mutchas grácias”. Bobagem ... que eles não fazem. O Márcio fala de ter sido abusado por abobrinha. Cheque emprestado é especialidade de cunhado. Em Portugal a mãe do Evandro se perdeu num posto de combustível. Em Paris com o “cabeça” foi o Emílio. O Adilson conta de um grupo de brasileiros que estavam numa viagem de trem na Alemanha. A fiscal do trem viu que a passagem não era para aquele horário e colocou o grupo de brasileiros para fora do trem. Para não ficar feio, o grupo saiu protestando e gritando com os braços para cima “ Argentina, Argentina”... O e-mail do ar condicionado caido em cima do carro fez reviver a história da instalação e recuperação do “cabeça” em Balneário. O Pfau contou a história da menina que não deu a mão para o presidente Figueiredo. Um momento guti guti. O Adilson já completou com meninas em Brasilia, com Figueiredo, numa grande ameaça a falar tudo sobre a época de chumbo do Brasil. O Nei que não recebe visitas, mas está em recuperação dos ólhos da cara, vai ter surpresa ao perguntar “tua filha está aí?” O Pedro Ernesto vai se aposentar. Nem próximo aos vencimentos dos invalidos da nossa assembléia. O Adilson conta que certo governante peruano ao se referir sobre a qualidade do pescado e a inexistencia de problemas nesta área provou ao vivo na TV o "ceviche", um preparado de peixe cru com limão e cebola. Dia seguinte estava internado. Como ainda não se sabe o que fez mal na alemanha se foi o pepino ou...? O Bola foi funiculá com a patroa no dia dos namorados e o funiculí não teve o desempenho desejado. O novo shopping chega até ter gente, embora com alguns “pobrema” de adaptações. Sem sapato voce não sai, cinema voce ainda não vê e outras coisinhas mais. O Márcio, mesmo sem tempo, fala da lagosta sapateira, que na verdade é uma aranha preta e cuja carne depois de cortadinha parece lagosta. O cabeça depois de uma semana sendo alimentado com camarão “bazuca” preferiu oferecer massa. Foi massa pro CLUBINHO .

terça-feira, 14 de junho de 2011

Aniversário do Mauro Medeiros de Mesquita


Amigo Mauro
Felicidades são os votos de todos os seus amigos do CLUBINHO

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Ciclo de vida

Impacto do pai

video

Vale a pena assistir este vídeo e mostrar para seus filhos.

Ata de 7 de junho de 2011

legenda da foto - Lelo, Márcio, Mauro, Daniel, Evandro e Claudio, sentados Bola, Bao, Pfau e Kiko.

Ata do CLUBINHO da reunião e jantar realizado dia 07 de junho de 2011 pelo Evandro Scussel de nº 22 e hoje residindo em Madrid. A programação aconteceu em dois momentos na comemoração dos 60 anos da empresa do Evandro a Ótica Scussel. Coquetel as 18 horas na loja, onde fomos recepcionados inclusive pelos funcionários da Scussel e jantar no Die Kneipe no Tabajara. Os cardápios excelentes tanto no coquetel com champagne, uns quitutes e no jantar no melhor com abertura de saladas, caldinho de aspargos e pratos quentes, peixe e filé preparados pelo cheff Inácio e o Mauro. Na loja se chegou a pensar forte nos peixes do aquario no melhor do sashimi. O champagne não foi aberto com “sabre”. Descobrimos que eles não “sabrem”. O Evandro está preocupado pois em 2020 teremos o dobro de veiculos nas ruas. Era terça, o dia do jogo da seleção com a despedida do Ronalducho. A diferença dele e do Bola é que ele tem dois bilhões. A Gisele está na passarela do um bi. O comercial da SKY e a palavrinha mágica para gostosa. Também foi comunicada a transferencia da data da viagem do CLUBINHO para a Espanha para o próximo ano, devido a E Coli e o pepino alemão. Não tem nada a ver com a poeira do vulcão do Chille em cima dos aeroportos. O Mauro lembrou de um show de rock no passado bem distante, no Estalerinho, em que a fumaça impossibilitou o trafego aéreo. Os rapazes estavam queimando até “balaio” de pescador. Quem na aborrecencia não queimou um balaio? Já das bronhas fica apenas a “de estilo”. Inspirado em anuncio de sutien e revista do Zéfiro. Em Madrid o Evandro não vai na praia. Disse que o cara do Red Bull descobriu a formula num taxi em Jacarta, cujo motorista bebia algo para ficar acordado. Daí, grana, muita grana. O Pfau contou que no Altas Horas todos falam de sexo de experiencias de amigos. E que o guri disse que pegou conjutivite num sessenta e nove. (http://www.youtube.com/watch?v=m73WHgtyTLY&feature=player_embedded#at=11) Ficando nos olhos, se acredita que o Nei depois da cirurgia da catarata vai ver coisa que não via. Poderá rever o que diz comer ou seja o que leva para a mesa e rever o valor do taxi, que tudo realmente deve mudar. Vai usar a quinta. Coitados dos amigos suecos do Adilson e o pinhão de Lages. As fotos dos martelos mostram as dificuldade de provar aquela iguaria. Muito bem lembrado da venda de “periquitinhos” mansos na beira de rodovias. Estão tão cheios de cachaça que apenas conseguem inclinar a cabeça. Quando o cidadão chega em casa – conta o Kiko – o periquitinho vira o diabo. Assim é com licor caseiro, queijo da colonia, na rede de nortistas, mel legitimo, no gelo dentro do camarão fresquinho e foi até no telefone antigo e raridade com mais de 300 na feira de entiguidades. Nas piadas a dos amigos viajando compram dois curiós. Na viagem, na gaiola, um cai morto. O amigo mais rápido comunica “óia, teu curió morreu”. Do Peninha o curió tinha uma perninha tortinha e argumentou que, cantar ele canta, mas não dança. E outros dois curios na gaiola e reclama o fregues que só um canta? Sim o outro é o compositor. Já no Tabajara o Eduardo estava jogando tênis. O mano veio com a notícia da jogada de toalha do Palocci. Nas barbaridade do MST o tio do Mauro que perdeu uma fazenda em Taió. A ideli tá de biquini na praia esperando a tainha. Musicas do piano ao fundo estava um espetáculo. O Grelha encontrou um amigo do Bao e disse que o pai – velho deba – tirou o ele - grelha da cadeia em Brusque. Se falou de chamar o pai, mas pode não dar tempo e nhoque. O Bola chama o grelha de companheiro de cela, pois juntos foram presos no autodromo de Interlagos em São Paulo no século passado. O Daniel – que é de Rio Grande - bebe “bellini” um long drink cocktail criado por Giuseppe Cipriani no Harry’s Bar entre 1934/1948 e citado como de Ernest Hemingway em Veneza. Hmmmm. Já no Rio Grande eles bebem Polar morna. O classico na zona era o keep cooler de diversos sabores. O Mauro conta que a striper embutiu e estragou. Forte e horrível foi a do pescador que soltou a sereia no mar pois não conseguia abrir as pernas. A do piratas do caribe no cinema é Penelope Cruz. Credo. O Evandro diz que parece com nós o filme frances “pequenas mentiras entre amigos” (ou “Little White Lies” ou mesmo “Les petits mouchoir” http://www.youtube.com/watch?v=m7U0OK-Vlf0) . No show do Wanderley Cardoso no Carlos Gomes nos “antigamentes” o Marcio conta que jogavam rosas vermelhas no palco e que tumultuaram tanto que o show foi cancelado. Já no dia o enfarto do Antonio Reinert o pau comeu. Badia batia de soco ingles e outros tapas. O piano ao fundo, no jantar no Tabajara fez relembrar boas musicas e bons tempos. O pepino causa arrotos. A formula é colocar sal e açucar. Já o Lelo raspa para tirar a gosminha. Em cinema 3D o óculos deixa tontinho. O Evandro viu um notebook com imagens 3D e se fala que o cinema 3D vai ter cheiro, temperatura e o “escambau” no futuro. O shopping novo do jaimes não abriu de todo. A familia Georg é sócia no terreno. Os empreendimentos do cara não tem mais sócios. Tudo dele. Uns cangurus estão comprando 30%. Torradinhas só as namoradas do Lelo. Diz ele que parece rosbife, suculento. O Evandro conta que em Madrid tem o restaurante “El Botin” que é o mais antigo do mundo ( + de 1.700). O Falcon tá na área. Kiko foi no Paraguai jogar, ganhou 600, dia seguinte ganhou 800 no terceiro dia perdeu mil. Aplaudido, com 82 anos de idade esteve na mesa do CLUBINHO o seu Inácio ( Inácio Antonio Tiago) natural da Penha e que há 51 anos está no comando das delícias gastronomicas do Tabajara. Antigamente na temporada estava no Mariluz no centro de BC. Musicas no paino ao fundo estavam um show. Na época da guerra era “tapacharra” que é um nome de origem indigena para tapear. Foi lá a sede do tiro de guerra. De Blumenau a Itapema tinha 60 km e hoje duplicada tem 74 km explica o Pfau. O Evandro fala da auchevitz airlines aonde o aviso aos passageiros “manda” colocar o cinto e que mascaras “de gás” cairão sobre suas cabeças. E que piloto alemão faz só o que diz o manual. Criatividade é de piloto brasileiro. Que ele foi de Air Bus para a Bolívia e que o piloto apenas tem um joy stick de “Atari”. O amigo Gonça do Mauro foi “resetar” em sumpaulo e que como computador tirou e colocou a gaveta do equipamento pois o avião não obedecia. E que avião “avoa” 150 metros um em cima do outro e 700 metros um ao lado do outro. Ainda teremos um dia o “brevê”. E que avião nunca bate de frente, as máquinas se falam. Nós também. E não só para ver o Ronalducho dando tchau, fomos todos embora.

terça-feira, 7 de junho de 2011

segunda-feira, 6 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Walendowsky no tênis

Clicar na imagem para ampliar

João Victor Walendowsky - sobrinho do Mano.

Um amigo leve

Um amigo leve - texto de Danuza Leão

É sempre assim: com tanto para fazer e sem tempo para nada, a gente acaba negligenciando um monte de coisas, entre elas nossos afetos. E como os sentimentos não sobrevivem sem uma certa atenção, um dia se começa a achar que o coração não consegue – gostar, ou ao menos sofrer por alguém. Mas o tempo passa, aquele amigo que a gente via o tempo todo viaja e um belo dia você sente saudades dele. Preste atenção: este fato é mais merecedor de uma comemoração do qualquer data querida. Ter saudade de um amigo, há quanto tempo isso não acontecia? Ah, que coisa boa. Uma simples saudade faz com que você se sinta viva, mesmo que sejam saudades apenas de um amigo- como se um amigo pudesse ser chamado de “apenas”. Mas tantas vezes você amou apaixonadamente, e quando ele fez uma viagem sentiu um alívio, até para descansar de tanta paixão e poder encher de cremes, sem ele por perto para reclamar? E tem melhor do que de vez em quando ter aquela cama enorme só para você, e até dormir com a televisão ligada ? Ter amigo é coisa muito boa, e sendo que não te patrulha, não te inveja, não te analisa nem discute a relação, é bom demais – é raro. Um amigo tão bom que te aceita do jeito que voce é, que não faz perguntas indiscretas, que te atende e está por ali sem ser, jamais invasivo. Você sabe de certas particularidades dele, e ele das suas, mas delas não falam, só quando é necessário. E com pouca intimidade. O excesso de intimidade pode ser fatal, mesmo entre mãe e filho, marido e mulher. A intimidade fisica não é nada perto da dos pensamentos e sentimentos. Pode ser pior do que ouvir a pergunta “em que voce está pensando?” Pode sim: é quando alguém tenta analisar a razão pela qual você disse ou fez determinada coisa num determinado dia, pretendendo assim, conhecer você melhor do que você mesma se conhece. Um distanciamento saudável é indispensável as boas relações humanas. Qual a qualidade que deve ter um amigo ? Bem, além das clássicas como lealdade, fidelidade, discrição sobre as intimidades que ouviu nas horas de aperto, disponibilidade para ouvir histórias, bom humor, e mais o que ? Leveza. Ter um amigo leve é uma benção dos céus. Não espere dele considerações sobre a vida e a complexidade dos sentimentos humanos, mas ninguém será melhor companhia para jantar, viajar, conviver, do que um amigo leve. Já pensou passar três dias seguidos com um amigo profundo? Se estiverm tomando banho de mar, ele pode se lembrar do tempo em que era criança, falar da relação que tinha com a mãe e o pai, e daí para cair no divã é um pulo; eles gostam de falar como são tolos os banqueiros e politicos, que só pensam em dinheiro e poder e não compreendem que a vida real, etc. etc. Quanta profundidade. Com essa mania, quando estão numa rede em frente à praia comendo um camarãozinho frito e tomando uma cerveja estupidamente gelada, se esquecem de que nessa hora o bom é não pensar em nada. É isso que faz um amigo leve; ele não diz nada, apenas usufrui a vida, e quem tiver a sorte de estar perto dele vai ter momentos de grande felicidade – ou pelo menos quase isso. Com um amigo assim, até a vida fica mais leve.

texto de Danuza Leão – Folha de São Paulo 29.05.2011 – pg C2 cotidiano. Colaboração do amigo Antonio Gomes Coelho Filho

Ata 31 de maio de 2011



Ata do CLUBINHO da reunião e jantar do dia 31 de maio de 2011 promovido pelo Mauro Medeiros de Mesquita de nº 20 realizado no Restaurante Espetinho de Ouro na Rua Amazonas, 2597 no Garcia em Blumenau. (ex-San Rafael) com a abertura de ½ porção gigante de calabresa no”forro”. No prato principal camarões, muitos camarões. Gratinado e frito a milanesa. Muito bem acompanhado de arroz, saladas, batata frita, farofa. Uma delícia. Registramos que na mesa sobrou camarões de tão grande que foram as porções. Acredite. Os “papa siris” ficaram “boqueabertos”. A casa está sendo ampliada e foi uma ótima opção. Aposentados foi novamente o tema. O estádio Estrela Vermelha voltou, local da nossa sede e que deveriamos ter mantido. O Kiko falou do sanitário com águas correntes e outros da lembranças de obras iniciadas e destruidas com enxurradas. O inglês do pinhão assado foi o assunto. O complemento de avaliação do Mauro com a chaleira, o relógio de passarinhos e o martelo acrescido de evitar cenas de cima - com o ator. Os suecos receberam, a alfandega ficou de olho e o ator trocou no inglês o martelo por machado. Se aguarda agora o e-mail com foto dos amigos suecos com unhas pretas das marteladas. Estouro tem sido os assaltos a caixas eletronicos. O Eduardo explica que se usa um toquinho da banana de dinamite para fazer um grande estrago. E que em pedreira se usa junto adubo que tem mesmo poder de fogo. Ainda bem que não usam adubo nas caixas eletronicas caso contrário brotaria um pé de notas avermelhadas. No marreta foi avaliado o assunto. Aliás assunto apropriado para o local. O Cláudio de vermelho diz que “estamos em baixa” e não gosta de falar do Ceará. Os irmãos Mesquita são Botafogo por herança e acham Quarentinha, Garrincha e Teixerinha grandes atletas. O Kiko foi a Buenos Aires e diz que se o frio de lá chegar aqui tamos gelados. Cordova fica a 770 km de Buenos Aires e Mendonça fica a 1.058. O coração da Argentina, Córdoba é a capital cultural deste país, a cidade universitária e a capital da província do mesmo nome. A província de Córdoba é chamada de "o coração da Argentina" se localiza no centro do país. A sua capital é a segunda cidade da Argentina, Córdoba (com pouco mais de 1 milhão de habitantes). Mendoza é a capital e a maior cidade da província de Mendoza,. Localiza-se no oeste do país, nas bordas dos Andes, e é um importante pólo de produção de vinho e azeite. O Pfau fala do “smart fone- Samsung” do filho Vicente que é cheio de “tric tric”. Para andar ele mede distancia, desenho roteiro no mapa, diz a velocidade, valor em calorias consumidas e tempo utilizado no roteiro. De Balneário o Bola faz propaganda da barra sul pois quer valorizar o seu apartamento. O Eduardo fala de valorização dos imóveis na região. Os bocudos falam do cheirinho na barra sul. O Bao comunica que o médico de Balneário tem dedo de menino, recomendando o exame. O Pedro Ernesto está mais pra cima do Brasil, o Lelo conta que ele se aposentou. Vai acabar morando no Copacabana Palace. O Mano esteve em Madrid na Espanha e em Portugal. Fala maravilhas e que lá; 95% da frota de carros são diesel. O deles não fede. Os prédios são baixos e não tem garagem, todos deixam carros na rua. Nas quadras parece a Oktoberfest da quantidade de carros estacionados. Lá não deve ter ladrão. O Pfau teve o rádio do carro furtado na garage. O Eduardo ligou para o Tabajara para ver o jantar dele na próxima semana. Pode ser substituido pelo Evandro que tá chegando. Ele ao maitre perguntou da entrada do jantar. Todos explicaram que pode ser pela portaria normal mesmo. Grosso no nosso futebol era o Pompeu Madeira. Cremação. Parcelado sai dois e quinhentos e na hora chega a cinco mil. Cachorro custa trezentos e cincoenta e a caixinha do pó quarentinha avisa o Márcio. É mais barato ter uma vida e morte de cão. O Adilson conta que o na limpesa de ossos do pai do gato o véio tava só de cuecas. O coveiro robou a roupa. O Nei conta que a Veja mostra coisas da subida. Que quando voce vai e é cremado os ossos chamuscados vão num moedor. Foram diversos os derrames de bebidas na mesa e até copo quebrado. Precisa ser toalha de plastico mesmo. Na Formula Indy o cara ficou em segundo pois lixou no muro na chegada por falta de gasolina. O fusca do Pfau esta na franquia Só Portas. Roncar é ruim. Muitos já dormem separados pois não conseguem aguentar o ronco do parceiro (a). O Eduardo “cabeça” diz que o primeiro sintoma que voce está ficando bebado é quando fica surdo. O volume nas conversas dos jantares do CLUBINHO estão próximos a um absurdo. São gritos e não conversa. Isso voce só percebe quando bebe suco de limão. Com tv ligada no ambiente algumas avaliações de quem come quem entre os personagens. O Pfau fala da imagem do Lula no mundo. Ele foi vitima da fama de um determinado momento mundial. É Portalegre... capazz cidade primeiromundista. Pode ? O Kiko experimentou três dias depois do 60º aniversário o uso de benefícios da terceira idade. Foi no Bradesco e teve preferencia na senha especial. Ficou vermelho de vergonha por usar o seu direito. Fomos encerrando a reunião.