quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Ata de 21 Novembro de 2017

Ata do CLUBINHO do dia 21 de Novembro de 2017 da reunião e jantar realizada em Blumenau na Churrascaria Tiefensee na Rua Amazonas no Garcia. Chuva forte no final do dia. O cardápio tradicional de carnes acompanhadas de polenta e a caneca de feijão foi o serviço. Era a vez do Adilson de nº19. O garçon era de nome Marcio. Mesa de frente pro mar. Mar de passarinhos no viveiro. Na coluna a demonstração de tecnologia do carregador de celulares. Pouco se fala de futebol. Muito se fala do submarino argentino. Se não fecharama tampa antes de submergir, caputz. A consciência negra é a do dia. A nossa vida e a emoção de viver com os netos. Falamos da goiaba e da goiabeira. O Luciano da havan não quer ciclovias na frente das suas lojas. Avaliamos então o Luciano Huck para presidente. Lula era o nome do pai dele. Enorme foi a quentinha do Pedro. Os Pfau realizaram em encontro em São Francisco do Sul com uma centena de familiares. A cidade tem um centro histórico maravilhoso. São Chico é a terceira cidade mais antiga do Brasil. A primeira é a Vila de São Vicente, diz o google. Masss Porto Seguro seria a primeira, Angra a segunda. São Vicente é a quinta. CLUBINHO também é pesquisa. É Cultura. Em Capri tem o Iate Clube e como Comodoro o Beckauser de Blumenau. O Bao teve lá com o Ciro há meio século atrás e o lote era junto de um duto. Foram feitas outras avaliações e comentários das últimas ocorrências, mas temos a certeza que são apenas exageros cometidos pelo álcool. O Adilson diz que vai sair correndo, nós ficamos para aplaudir o campeão no pódio. Sem mais, encerramos esta ata que foi lavrada em decorrência de mais uma reunião do CLUBINHO que há 38 anos faz isso sempre as terças feiras.

domingo, 19 de novembro de 2017

Radiamadorismo

RADIOAMADORISMO E MEU CONTATO COM HANSENÍASE ( LEPRA). Neste domingo, 19 de Novembro 2017, dia da Bandeira, olhando TV, agora a tarde, deparei- me com um documentário da TV Record, sobre os antigos Leprosários no Brasil e no mundo, que isolavam os pacientes em seus hospitais. Vi depoimentos de filhos afastados de pais leprosos, que foram criados em educandários, vivendo sob os cuidados de religiosos em educandários, alguns sem jamais conhecerem os pais e irmãos. Vi e ouvi relatos, nos documentários destes filhos e até de pacientes que hoje optam em viver naquelas vilas, isolados do contato com nossa sociedade. A Medicina avançou, e estes doentes são hoje tratados em ambulatórios, com medicações que impedem a propagação da doença. Vi também, que apesar dos avanços 47.000 casos novos de Hanseníase, por ano, são detectados no Brasil. Por ser hoje domingo, minhas memórias foram-se para o início da década de 70. Era Sargento Radiotelegrafista do Exército Brasileiro, trabalhava no 14º Batalhão de Caçadores em Florianópolis, 22 nos de idade. Feliz, havia recebido meu prefixo de Radioamador, na época PY-5-CLG (hoje PP-5-CLG, já que com a divisão das regiões, as letras PY ficaram para os radioamadores do Paraná, então nós de Santa Catarina recebemos as letras PP. Não tinha condições financeiras, para comprar um equipamento de radioamador, frequentava a LABRE (Liga de Amadores Brasileiros de Radioemissão) em sua sede em Florianópolis, e fazia de lá meus contatos, com a estação do Clube. Era muito disputado, pois vários colegas, em condições semelhantes, faziam o mesmo, para uma única estação. Pouco tempo tínhamos. Nelson da Silva e Jerônimo Borges Filho,(Presidente da LABRE) então, vendo minha paixão pelo rádio, consertaram um velho rádio transceptor que transmitia em frequência fixa somente, na frequência de 7.150 Khz e em AM (Amplitude Modulada) e usando dois bambus, cortados e arranjados pelo Nelson e com cabo dipolo, montamos no quintal de minha casa a antena Dipolo. Assim eu tinha uma estação em casa, e aos sábados e domingos era o meu programa favorito. Pouco importava minha limitação, eu só podia transmitir e receber sinais em 7.150 Khz (40 metros) . Se o operador do outro lado do rádio, me ouvisse , teria de ajustar seu rádio exatamente em 7.150 metros, senão eu não conseguiria ouvir. Os rádios de frequência variável, eram caros no Brasil e raros, só para os mais abonados. Pelas manhãs de domingo, abria meus chamados: “ CQ 40...CQ 40...CQ 40 METROS” PAPA CINCO CHALIE LIMA GOLF, (PP-5-CLG) , OPERANDO ESTÃO FIXA, CHAMA QUALQUER OPERADOR QUE QUEIRA MANTER UM BOM PAPO ! “ E assim fui fazendo meus contatos, maravilhosos pelo Brasil afora...e me tornando conhecido. Aos domingos já tinha uma rede de amigos, que agradavelmente, atendiam meus chamados e estabelecíamos longos papos em rodada, um de cada vez ! Meu velho Pai Edison e minha Mãe Antônia, acompanhavam aqueles papos pelo rádio, e ficavam felizes quando os colegas de rádio diziam: “Olha...Adilson, se o Sêo Edison e Dona Antônia estão ouvindo, mando meu 73 (Abraço)...aquilo era muito bem vindo ! Certa manhã de domingo, um radioamador , ouvindo meu chamado, atendeu-me e estabelecemos um contato aí por volta de 7 horas da manhã, e nos prolongamos por quase 2 horas de contato. Chamava-se também “TADEU”, como meu segundo nome. Não vou aqui declinar seu Prefixo...uma homenagem doída de fazer. Chegando perto de 09:30 horas da manhã, eu pedi a ele licença para retirar-me do Rádio, pois havia prometido de levar meus pais na missa, no fusca 1969 que eu era o motorista e que a família havia comprado com muitas dificuldades e era nosso xodó ! Foi então que “Tadeu”, disse-me: Caro macanudo (amigo) Adilson...licença concedida com muita honra... leve lá seus pais...aproveite que estes momentos são raros. Num relato triste contou-me que assistia à missa, durante muitos anos, através de janelas, em ambientes separados, pelo fato de ser portador de Hanseníase, pois era um paciente internado, isolado. O mundo estava mudando, com novas medicações e as realidades dele, também estavam mudando, mas dado às deformidades que a doença lhe causara, não se sentia bem com a reação das pessoas, com sua presença. Tadeu passou a ser um amigo de rádio enquanto pude ter a estação em Florianópolis. Anos se passaram, fui morar em outra cidade onde cursei Medicina, conheci o Professor Ruy Noronha de Miranda, Cientista e Diretor do Centro de Estudos Leprológicos do Paraná, meu ilustre Professor em Dermatologia, homem respeitado mundialmente e falecido em 2010 aos 95 anos. Professor Ruy, foi Diretor do Leprosário onde estava internado Tadeu, havia conhecido o paciente. Professor Ruy morou com sua família na Vila onde ficava o hospital. Nos tornamos próximos, com ele pude visitar o Hospital, mas não pude conhecer Tadeu, ele havia partido para o Oriente Eterno. Vezes por outra, desci pela Estrada de Ferro que passa pela Estação de São Roque, rota turística que vai a Paranaguá...cada vez que passo por ali, o coração aperta. Querido Tadeu, que Deus o tenha ao seu lado, com meu mais afetuoso Abraço. (73). texto do Dr. Adilson Tadeu Machado. (PP-5-CLG)

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Ata de 14 de Novembro 2017

(foto ilustração) Ata do CLUBINHO da reunião e jantar realizado dia 14 de Novembro em Blumenau no Restaurante Espetinho de Ouro na Rua Amazonas, 2597 no Garcia. Aquele com os camarões de lagoa. Convite do Gilson Asdubral Soutinho. Foi pedido vinho e a etiqueta de preço era do supermercados Pfuetzenreiter. O encerramento do ano do CLUBINHO está agendado para dia 19 em Balneário. O Bola assustou pois na BR um pelo duro sinalizou que o pneu tava no chão. Acreditou e não parou. Na cozinha os limões estavam cortados. Nas antigas estivemos no Koffke, já o Joel encontrou o Maverick na foto antiga. Maverick carro e não banda. Até o Pavão 1927 passou pela mesa. A Italia não vai para a Copa da Rússia. O treinador do Brasil é considerado inteligente. Eugenio do banco Guanabara este na mesa. (O Zemzo) O Neymar está procurando uma imobiliária em Blumenau. Em casa tudo igual. O detergente do Zé Pfau - poft - caiu da pia da cozinha diversas vezes. Sempre com a manteiga pro lado de baixo. O Quico sempre esquece no supermercados. E a batata, esqueci. O Joel ilustrou com com o vidro de palpino. Que é palpino, é vidro de palmito e de pepino. E a gente ri. O Paulo Pfau era o boy da cidade, com o programa Juvetude comanda na Rádio Alvorada. De novo a história da hora da Ave Mária na Nereu que o Padre com sonoplasta novo, abre com o boa tarde, são 18 horas. E o sonoplasta larga a bolacha com volume acima do normal. Do aquário o Padre faz sinal com a mão para baixar o volume. O sonoplasta zerinho entende que é para ajoelhar e faz isso. Em Joinville o Gonçalves colocava faixa grande de musica clássica e descia para tomar café. O disco engatou tantã, tantã, tantã.... O Fernando na Rádio Alvorada abrindo o dia se considerou locutor e arrancou de bom dia, blá blá, blá. O ouvinte ligou e perguntou que era a locutora. Era o piá de voz fina. O Marcio foi milico em Brasília e conta da abundancia de gays. Teve um daqui que ficou casado lá com uma biba. Buba era outro e de OSPB de Presidente Getúlio. Ir no shopping. Ir no shopping ? O primeiro celular que vi, com o Zé Pfau, o Laudê tirou da bolsa no Bar do Horário no Neumarkt uma caixa preta, tirou do gancho ligou e falou. (telefone rural) O PT550 e a maravilha pendurada no cinto. O melhor era a cena ao atender. O Marcio comprou um vídeo cassete nas antigas num consórcio de 12 parcelas. Sugeriu sorteio da vez. Ele foi o último. Só foi ver filmes no ano seguinte. E lembra que teve um com controle remoto com fio. E o Tega tá em Gaspar. Cigarrinhos em Curitiba e a bituca que caia dentro do carro. A cena do para, para. Nós, Zé, Bola, Johni Koch e ... de Fairland com a Iara Bernardes e a Urquiza se alimentando em Florianópolis. Na segunda jantar a luz de vela, terça só almoço no Lindacap, Quarta lanche no Kretzer, quinta pão com queijo e guaraná no almoço de quinta e sexta voltar para almoçar em casa. Falamos de restaurantes de referencia nas nossas praias. Em São Miguel tem um prato com polvo no restaurante Serafim – recomendado. O Aires Bento era o veterinário numa época que não tinha PET. Já o Dr. Vergara tirava o pinga pinga. Tinha um com sífilis hereditária. Três cruzes. Cruzes. No Barracão dos Barbieris tem Toledo no pedaço. No enterro o pedreiro fez menor a própria tumba. Corta o pé grita o parente. Foi bem assim a pauta do CLUBINHO que antecedeu o feriado da Proclamação. Nada mais para tratar foi dada como encerrada.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Ata de 07 de Novembro de 2017

Ata do CLUBINHO da reunião e jantar comemorativo aos 38 aninhos. Realizada pelo presidente Daniel Chiesa no Restaurante Moinho do Vale na curva do Rio. Prestigiadíssimo e muito bom em todos os aspectos. Até a mesa era de nº 38. Numa avaliação geral, muita satisfação de todos por pertencer a tão sele grupo. Nosso modelo não é exclusivo, mas sem dúvida é sui generes. Nosso compromisso é muito sério e com uma frequência acima da média. Nossa liberdade é total e descontraída. Somos desordenadamente organizados. É uma felicidade invejável ter tantos anos juntos as terças feiras. Esse é o nosso CLUBINHO, essa é uma das boas partes boas das nossas vidas. Na mesa para comemorar muitos iniciaram com o bronzeador. Modesto o brinde para os que já foram. Na verdade um coquetel com o que sobrou nas garrafas. Químicos estrategistas já estavam definindo a receita para o CLUBINHO. Se não ficar bom se usa na praia. Conversamos de vinhos de garage. Coisa do interior aonde o colono faz seu próprio vinho para consumo da família. Se a moda pega, teremos pousos de emergência se elas abrirem os celulares. Susto foi o voo no acidente causado pelo veloz rapaz das placas. Pela manhã brindava no bar da esquina. Brindava era o Joel com sua coleção de raros carros raros. O Quico mantem a imagem de removedor. Diz o Wilson que derramou leite no carro, vende porque nunca mais será o que era. A Kombi aquela, usada como moeda de troca, tem causado um rosário de satisfações. A história de uma caravana de motos que foi para o polo norte, atravessaram a Mongólia e se foram por uma estrada de barro aonde não se encontra mais nada, nenhuma casa, nenhuma cidade. Em São Paulo está um em cada carro que existe no Brasil. Se fala que o novo governador será o Udo. Já no embalo da festa dos 38 anos foram abertos os trabalhos para pronunciamentos. O presidente evitou de ler seu improviso. O Zé Pfau falou alguma coisa. Sensacional foi a proposta do Joel, lançando o seu nome para presidente. Imagine quantas deverão ser as composições que terá de fazer para obter o apoio necessário para alcançar o cargo, subir no podium e crescer no grupo e ter no mínimo o tamanho do atual. A melhor piada da noite. O Pedro negou apoio a candidatura do Joel, se dizendo que já ter sido enganado uma vez. Dado ao avançado da hora, fomos encerrando os trabalhos aguardando os nosso 39 aninhos.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

38 aninhos

Caros amigos, o CLUBINHO comemora 38 anos da sua criação, destes 38 anos tenho a imensa satisfação de estar participando há 10 anos. Como presente por estes 10 anos de amizade, fui escolhido como presidente do grupo e como tal convido a todos para comemorarmos esta marcante data. Daniel Chiesa - Presidente.
Na nossa história foi escolhido o dia 06 de Novembro, há 38 anos, como a data de criação da agradável reunião de um grupo de amigos que se serve da estratégia para estreitar ainda mais as amizades. Uma permanente presença e de bons e alegres momentos de descontração e muita boa conversa. Pelo aprofundamento nos assuntos o nome deveria ser CLUBINHO NEWS. O CLUBINHO é um invejável grupo de amigos formado por - Pfau, Bao, Mano, Bola, Quico, Wilsinho, Adilson, Evandro (by Madri), Eduardo, Nei, Claudio, Marcio, Daniel, Joel e Fernando. Foi de uma ideia de 1979 que treze amigos definiram a terça feira como um dia especial. Terça não se assume outro compromisso. Eram, como ainda somos, amigos de escola na infância, de muito barulho na banda de rock da adolescência, de competidores e pilotos na juventude e de já reconhecidos adultos, cidadãos e profissionais. Solteiros e casados. Depois descasados, arrumados... Adicionados pelos amigos dos amigos que hoje formam um grupo único e muito afinado. Com boas aquisições. Chegamos a reunir até no numero de quarenta de participantes, foram outras dezenas e centenas de convidados. Uns partiram mais cedo e nas terças feiras lá aonde estão devem estar com compromisso, se encontrando. Para eles é feito um brinde e prestamos a nossas homenagens. Hoje dividimos as reuniões entre Blumenau, Brusque e os bem aposentados em Balneário Camboriú. Parabéns a todos os amigos do CLUBINHO.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Ata de 31 de outubro de 2017

Ata do CLUBINHO da reunião jantar realizada no dia 31 de outubro de 2017 em Brusque no Monthez Hotel & Eventos na cidade de Brusque com uma vista maravilhosa para um mar de atrações. Pavilhões da Fenarreco, Kartodromo, pista de Jeep, hipismo, exposição de esculturas ao ar livre e a cidade de Brusque o berço da fiação catarinense. O jantar foi a convite de José MANO Walendowsky que recebeu o CLUBINHO e aos amigos internacionais Fornari, o italiano Felipe (sogro da filha do Bao) e o produtor de pin up’s e irmão – Beto. Aliás foi dado o recado de que fotos repetidas com a mesma modelo em posições diferentes e nada acontece estão descartadas. Na lei do Uber os carros sem a placa vermelha como serão multados ?. Sem placas ? No sól de Balneário Camboriú nossa turma é igual bebezinho, só antes das 9:38. O Bao está fora, pois caminha em passos fortes e rápidos, tanto que o sol não alcança. A triste notícia foi do Bola que comunicou que o Léo, irmão da Nádia, um Barriola que saiu de Balneário e morava há anos nos isteites, faleceu. Num grupo de motociclistas numa viagem, acidentalmente atingiu um automóvel e na queda quebrou o pescoço. O CLUBINHO lamenta o falecimento. Na casa do Zen Bier encontramos o Zen, ex-prefeito e conceituado empresário. A cervejaria não mais o pertence. A melhor piada foi a fantasia no halloween é de boleto. Assunta todo mundo. Não assusta é o cinema que azigreja vão construir no presídio. Record de bilheteria será a fuga de Alcatraz. Roncava kart a noite inteira. Pedro Ernesto coloca gotas de undenberger na caipirinha, mas não fica com o tom de cor das de águas de enchente. O neto do Nei pelo whattsApp pergunta em áudio – vô, qual é o nome de seu amigo que faleceu ?, Um encanto a intervenção dele, sabendo que o vô está no CLUBINHO neste momento. Vejam como fica na lembrança das crianças os nossos textos, principalmente da paixão que tem um neto ao ouvir o que o vô falou. Emocionante. O cardápio um show, dez opções, mignon à mostarda (mas não falha), frango grelado, digo grelhado, Parmegiana, Salmão, Congrio, Risoto de Fugui, Aligot (apelido de um filé com purê) – há quem considerou senha do wi fi kkkkk, massas pomodoro ou bolonhesa ou carbonara. Um show. Duas merças no transporte, uma do veteran e outra com problemas mecânicos. Freia no semáforo o motor apaga. Diagnóstico do Bao – giglê. É só pedir para a patroa pegar na caixa de costura uma agulha e trazer no porta luvas. O Madrugão de Blumenau está soltando fogo em Balneário Camboriú. O bastantão da madrugada. O Bao, na sua avaliação sobre turismo fez um belo texto sobre a cidade de Gramado. Há 30 anos o turismo é matéria obrigatória no curriculum escolar, o que resultou numa consciência. O hotel, o restaurante, as lojas todos não esperam produzir, fazem o melhor em festa, decoração um superando o outro. Profissional. Dia 06 de Novembro comemoramos nossos 38 anos de uma ideia de 1979, com treze amigos que definiram a terça feira como um dia especial. Eram amigos de escola infância, de banda de rock na adolescência, competidores pilotos na juventude e já reconhecidos adultos, cidadãos e profissionais. Solteiros e casados. Chegamos no numero de quarenta, uns partiram mais cedo e nas terças feiras devem estar se encontrando. Hoje dividimos as reuniões entre Blumenau, Brusque e os aposentados em Balneário Camboriú. São eles que fazem do CLUBINHO um invejável grupo de amigos - Pfau, Bao, Mano, Bola, Quico, Wilsinho, Adilson, Evandro (by Madri), Eduardo, Nei, Claudio, Marcio, Daniel, Joel e Fernando. A comemoração acontece no próximo dia 07 de Novembro no Restaurante Moinho do Vale na curva do Rio em Blumenau. Parabéns a todos os amigos do CLUBINHO.

Faleceu Léo

Leo - irmão da Nádio do Bola faleceu nos Estados Unidos num acidente com a motocicleta.