quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Em Balneário Camboriú

Reunião e Jantar do CLUBINHO dia 09 de Janeiro 2018 em Balneário Camboriú - Pedro Ernesto.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Texto Adilson -

Adilson Tadeu Machado 30 de dezembro de 2017 às 12:13 · Blumenau · A ESPOLÊTA E O REVÓLVER...UM NATAL ! Passei este natal longe de casa...mas visitando uma filha que vive em outro Estado. Linda região, boa parte ainda desconhecida para mim, terra pródiga, conquistada com “braços fortes de imigrantes” que graças ao fruto do árduo trabalho, tornaram a Serra Gaúcha, num celeiro de progresso e trabalho ! Noite de Natal, jantávamos à convite de filha e genro, em elegante restaurante e analisava mentalmente, como muitos de vocês, aos diferentes Natais, que tivemos nestes anos de vida, com diferentes lembranças. Na década de 50, anos difíceis para muitos, nosso Natal em Lages, como todos os anos, montávamos com pinheirinho natural (não era proibido o corte), velinhas coloridas em castiçal de metal, como prendedor de roupas de varal e assim íamos montando. O pinheirinho era ajeitado em “lata quadrada de querosene”, vazia e que enchíamos de cacos de tijolos e areia para suporte do tronco do pinheirinho. Cobríamos à areia e tijolos com “barba de velho”. A “neve” do pinheirinho era com chumaços de algodão branco. Ao pé do pinheirinho, um casebre pequeno feito de tocos de galhos de árvore, com imagens de barro de José, Maria, Menino Jesus e animais e quem tinha, também os 3 Reis Magos , nossa representação de presépio. Eram noites mágicas ! A ansiedade brilhava aos olhinhos, das crianças ! Lages nos anos 50...era região de difícil trabalho...para muitos, era a lida campestre, roça, e assim por diante. Poucos proviam seus afazeres com moeda sonante. Minha mãe, professora primária, após passar dois anos internada em sanatório para tuberculosos, isolada da família, foi considerada incapaz para o trabalho, com colabação completa de um pulmão e 30 por centro do outro. Recebia o equivalente a meio salário mínimo da época. Na roça, meu pai, tentava vender os produtos de cada safra, competindo com muitos lavradores em semelhantes condições. Assim a vida seguia ! Aquele Natal, realmente estavam difíceis as coisas... eu havia ganho no Natal anterior, um revólver de metal, que estourava pequenos carretéis de papel, com espoleta. Era o tipo “cowboy”, com cinta que ajustávamos na cintura, meio caído à direita. Afinal eram tempos de “Roy Rogers, Rocky Lane, Dale Rogers, Billy the Kid” e tantos “heróis” dos “gibis” (cartoon) que líamos ou aprendíamos a ler. Tempos de “faroeste’ na matinée dos cines Marajoara, Tamoio e “Poeira” (Carlos Gomes). Eu notara que meu revólver sumira...ninguém sabia me dizer o que houvera ...afinal, tive que brincar de “faroeste”, com os amigos, improvisando com tocos de madeira. A brincadeira de faroeste, tinha regras próprias. Um pé de vassoura carqueja, no campo, servia de “trincheira” e ninguém poderia ser “prêso” ou “morto”, atrás de trincheira...divididos em 2 grupos “mocinhos e bandidos” disputávamos ‘partidas”. Everaldo tinha uma “estrela” de xerife no peito, como seu pai era alfaiate, ele aprendera a fazer coldre de pano,(brim verde oliva), sobra de tecidos e tinha um belo coldre, para alojar sua arma de plástico ! Eis que chega o Natal...voltávamos ansiosos da “Missa do Galo”, corríamos para o “Pinheirinho de Natal”, velinhas acesas, olhos esbugalhados, olhando os pacotes de presentes em papel colorido ! No meu pacote, encontrei o “revólver”, era o mesmo do ano anterior. Fôra limpo, lixado e pintado prateado, sua cor original , junto a ele, um rolinho de papel espoleta...meio desapontado, olhei para minha mãe...vi seus olhos marejados, brilho azul, ofuscado por lágrimas...exclamando...”Este ano Papai Noel aqui em casa, passou mas...foi o que foi possível deixar de presente” ! Estava com 10 anos de idade, entendi...e coloquei a cinta e o coldre, corri para rua e fui chorar sozinho.., para ela não perceber, não pelo revólver, mas por Ela, que fizera o trabalho de lixar e pintar meu presente...e pouco depois eu era o “Xerife”, com a estrela do amigo, que me emprestou ! Fomos à partida “Mocinhos X Bandidos”...eu ganhei ! Belo Natal ...quem não tem saudade ? 1958.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

"TV Coligadas: A Aventura do Canal 3"

1º de setembro de 1969 quando Blumenau e Santa Catarina eram oficialmente apresentados a um novo meio de comunicação que só era conhecido por meio de chuviscos vindos do Paraná. Nascia em um prédio simples, no centro da cidade-jardim, a TV COLIGADAS! Produção - André Luiz Bonomini

Jantar de encerramento 2017

CLUBINHO jantar de encerramento de 2017 - Marcio Mesquita

sábado, 16 de dezembro de 2017

Torcedor

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Aniversário do Almir Faoro

Parabéns Almir Faoro pelo seu aniversário, receba o abraço de todos do CLUBINHO.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Ata do dia 12 de dezembro de 2017

Ata do CLUBINHO do dia 12 de dezembro de 2017 em Blumenau da reunião e jantar realizado pelo Wilson Ribeiro no Restaurante Mortadella na Avenida Martin Luther. Solicitado um petisco como batata frita, negado pelo Wilson – justificando que era para não estragar o paladar. Foram servidas de abertura bruschettas de linguiça Blumenau. Excelente carne foi servida, ótimo ambiente, com diversas confraternizações de final de ano e até com revelações de amigo secreto. Na oferta da casa chopp e caipirinha em dobro. Carne na brasa é com sal grosso, há quem não admite a colocações de ervas. O Grêmio se arrastou no jogo da tarde desta terça e nossos técnicos descreveram algumas conclusões sobre perspectivas no futebol. Se falou do Adriano Gabirú – que o google define como - que ou quem age com esperteza; patife, bilontra, malandro. U que ou quem é alegre, brincalhão; travesso, gaiato. CLUBINHO também é cultura e folclore. Que em Curitiba tem um restaurante muito bom (fila na porta) – o Peixinho – que o dono tem uma lagoa de tilápias – contestada a informação pois as tilápias vem de Maringá, se sabendo até a placa do caminhão e nome do motorista. E em Blumenau, pratos típicos é em Pomerode. E em Balneário a refeição é exorbitantemente cara. Como comprar e vender bitcoins. Pauta do assunto econômico do dia. Há quem defina como bolha, como corrente e que vai ter o “bum”. A festa PFAU & CIA realizada em São Francisco do Sul foi abaixo de muita chuva, numa sequencia de dias de intenso sól, semana antes e semana depois. A foto oficial é assunto. Já houve momentos em que a presença no CLUBINHO foi registrada em ata e denunciava quem usava o compromisso para dar um fugida. Hoje se acredita que a foto é apenas situações de vaidade. Iniciando a temporada, dependendo do horário há quem percorra o trecho Blumenau ao litoral em três horas. Jovem Guarda, no Canal Brasil o documentário fez revelações que não sabíamos, ou não lembramos. Então falamos do carro dos irmãos Locatelli (filhos do Juarez) e pisamos fundo nas corridas em pista de barro. O piloto Wilson contou de suas peripécias nas pistas. Fuscas e Mavericks. Presentes o Wilson, o Bao, Pedro, Eduardo, Claudio, Quico, Marcio, o Toni de convidado, o Mano, o Nei, Fernando e Zé Pfau. Esta foi a ultima atividade considerada normal no CLUBINHO do ano de 2017, na próxima terça em Balneário Camboriú acontece o jantar de encerramento, uma atividade festiva tradicional com a participação dos casais. O CLUBINHO entra no período de férias retornando no início de janeiro de 2018. Boas Festas.